Google+ Badge

sábado, 26 de dezembro de 2015

Leão à caça de reforços


O Remo promete divulgar nesta sexta-feira (25) mais três jogadores para o elenco de 2016. Até agora, estão confirmados os volantes Alisson e Yuri Naves e o meia Marco Goiano, que tiveram seus nomes anunciados na última segunda-feira (21). O diretor Dirson Medeiros, que integra a comissão de futebol azulina, assegurou mais duas ou três contratações para esta semana ainda.
Em contato por telefone, Dirson Medeiros disse estar em negociação com os atletas, sem revelar seus nomes. Virou uma praxe do Remo fazer os anúncios dos reforços pelo site oficial, como aconteceu no começo da semana.
Ainda que o dirigente não confirme, o pré-contrato do Remo com o volante Michel e também com o lateral João Victor, jogadores que fazem parte da lista de reforços apontados pelo técnico Leston Júnior, é dado como certo nos bastidores da sede social do clube.
João Vitor, 27 anos, atuou pelo Figueirense, de Santa Catarina. Michel, de 34 anos, está sem clube desde o começo de 2015, mas estava jogando por clubes sociais no Ceará.
Outro nome é o do atacante Zulu, que vem sendo mencionado pelos azulinos. As negociações seguem numa linha favorável ao Remo, que desde 2014 sonha em ter o goleador no Baenão. Zulu marcou mais de vinte gols pelo Juventude (RS), e tem o perfil de goleador que o Leão Azul procura para superar a baixa efetividade de Aleilson, Kiros e Rafael Paty, apostas no setor na temporada passada. O trio já não faz parte do elenco.
Até agora, o Remo tem formando o ataque Léo Paraíba e Welthon, que são remanascente do grupo de 2015. Welthon, 23 anos, chegou ao Remo no meio do ano para a disputa da Série D, após ser um dos grandes destaques do campeonato paraense, defendendo o Tapajós. O atacante Welthon se caracteriza pela força física, técnica e velocidade. Foi o autor de um dos gols mais importantes para o Remo no ano, abrindo o placar no jogo do acesso contra o Operário (PR).
Já Léo Paraíba veio do futebol amazonense. Marcou dois gols. É jogador que se identifica com a torcida. E é rápido com a bola nos pés.
Segundo Dirson Medeiros, o Leão também precisa de um goleiro, além de dois laterais (esquerdo e direito) e um zagueiro. Na direita, Levy joga sozinho por enquanto. Mesmo sem contrato renovado, ele vai permanecer no Baenão, pois está apalavrado com o gerente Fred Gomes. Também são carências do elenco azulino um zagueiro, um volante, além de dois meias e mais dois atacantes. “Para começar o campeonato precisamos de 25 jogadores”, diz o diretor, que está apoiando André Cavalcante para a presidência do Leão.
Gramado do baenão servirá para a pré-temporada do time
O gramado do Baenão está quase pronto. Neste semana houve um teste de campo com um bate-bola, para que as condições fossem testadas. Segundo o engenheiro Paulo César Alves, o gramado ainda não está em boas condições, mas até o dia 20 de janeiro, conforme previsão da diretoria, o campo estará pronto para ser utilizado pelo técnico Leston Júnior. O Baenão, como lembrou Paulo Alves, servirá somente para treinos do Remo, especialmente para a pré-temporada. Para jogos oficiais, só no próximo ano. Todos os jogos do Leão Azul no Parazão serão realizados no Mangueirão.
Candidatos à presidência começam a fazer campanha em janeiro 
Consolidadas as inscrições de chapas para a eleição azulina, dia 23 de janeiro, os candidatos começam a fazer campanha. Na noite de terça-feira, André Cavalcante fez o lançamento da chapa “Sou Mais Remo” ao lado do vice, Fábio Bentes. Na mesma noite, Mileo Júnior e Milton Campos lançaram a chapa “Avança, Leão”. O ex-presidente Zeca Pirão, comandante da chapa “Remo, Acima de Tudo”, está trabalhando em sigilo. Pirão tem como vice Helder Cabral. Já o coronel Maroja tem Cláudio Pontes, vice-presidente, e lança na próxima segunda-feira (28) a chapa “Feliz Remo Novo”, numa churrascaria da cidade. Maroja, ex-diretor de campo e patrimônio, está tendo boa aceitação entre os eleitores azulinos.
A eleição presidencial do Leão Azul terá um gasto de R$ 10 mil com confecções de cédulas, mesários, fiscais, além de lanches e água. Mas o Remo não arcará com essa despesa, pois o advogado Ulisses Oliveira decidiu custeá-las. Ulisses, por dois anos foi diretor de futebol da base. (Pararijos NEWS)