Google+ Badge

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Abandonada e roubada pelo ex, britânica vira 'mendiga mais gata de todas'

ReproduçãoReprodução

Imagina que seu filho nasce, você briga com seu namorado — e pai da criança — e ele resolve sumir. Mais do que isso, resolve também limpar sua conta bancária. E, para finalizar, você e seu filho vão para a rua, viram mendigos. Parece mentira, mas é a história de Joelle, a “mendiga gata”.

“Eu entreguei meu cartão e confiei tudo a ele, inclusive o número do pin, a senha, os procedimentos. Obviamente, hoje, vendo a minha situação eu sei que foi uma estupidez que me prejudicou, mas eu realmente acreditei nele. E o que ele fez foi me roubar e deixar eu e meu bebê como mendigos”, afirmou Joelle ao programa Jeremy Kyle.

No total, Joelle perdeu um pouco mais de R$ 5 mil para o ex-namorado — que, segundo ela, era viciado em apostar. Sem o dinheiro, ela não conseguiu pagar o aluguel, já que parou de trabalhar para poder cuidar do filho, que ela não tinha com quem deixar. A solução, diz ela, foi morar na rua.

A história de Joelle — que não teve o sobrenome revelado — chocou e emocionou internautas do mundo inteiro. O principal fator de comoção, porém, estava longe do roubo ou da situação de vida. Mas sim com o fato de ela ser “muito bonita para ser mendiga”, como definiram — de maneira preconceituosa? — diversos usuários.

A reação dos usuários — predominantemente homens — em relação à beleza de Joelle e sua condição irritou bastante as usuárias e telespectadoras do programa. Além disso, abriu a discussão: só nos preocupamos com moradores de rua quando sua aparência os aproxima de nós ou de nossos conhecidos? (Pararijos NEWS)

Governo adia abono salarial

O Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat) aprovou ontem o calendário proposto pelo governo para o pagamento do abono salarial, que empurra parte dos desembolsos previstos para este ano para 2016.
O pagamento diluído faz parte do pacote do ajuste fiscal apresentado pela equipe econômica ainda no fim do ano passado. Com isso, em torno de R$ 9 bilhões, que seriam pagos neste ano ficarão para 2016.
Como o orçamento de 2015 já previa o novo cronograma, não haverá alteração no valor previsto na lei orçamentária para o abono, que é de R$ 10,125 bilhões. O orçamento de 2016, aprovado mais cedo, também já contemplava a diluição dos pagamentos.
Os desembolsos serão feitos em nove parcelas, entre julho deste ano e junho de 2016. A proposta foi aprovada pelo Conselho por dez votos a favor e sete contra. Representantes de seis centrais sindicais e da Confederação Nacional de Serviços (CNS) foram contrários ao novo calendário.
O Codefat aprovou a proposta orçamentária do FAT para 2016, que prevê um total de R$ 76,480 bilhões no próximo ano. O valor é 15,27% maior do que o previsto no orçamento de 2015. Desse total, a previsão é que R$ 22,351 bilhões sejam destinados ao financiamento de programas do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), 19,96% a mais do que o montante destinado neste ano ao banco de fomento.
A proposta destina ainda R$ 34,888 bilhões para pagamentos do seguro-desemprego (queda de 5,38%) e outros R$ 17,120 bilhões para o abono salarial. Para este último, o montante previsto é 69,08% maior do que o do orçamento de 2015, por conta do novo calendário de pagamentos. A proposta contempla 23,4 milhões de beneficiários pelo abono salarial no próximo ano (contra 12,8 bilhões esperados para 2015) e 7,9 milhões pelo seguro-desemprego em 2016 (ante 9,4 milhões neste ano).
Pelo lado das receitas, o orçamento aprovado pelo Codefat prevê R$ 55,877 bilhões em recursos do PIS/Pasep, crescimento de 29,08% em relação a 2015. A proposta considera o fim da Desvinculação das Receitas da União (DRU), de 20% das receitas do PIS/Pasep, ou seja, que retira esses valores do fundo.
São esperados ainda R$ 15,591 bilhões em receitas de remunerações de investimentos do fundo (+14,10%). Para fechar a conta, o conselho prevê ainda o aporte de R$ 4,025 bilhões do Tesouro Nacional (ante R$ 6,7 bilhões projetados para este ano)
A proposta será encaminhada para o governo federal, que poderá fazer mudanças no orçamento efetivamente previsto para o ano que vem. Em 2015, a proposta aprovada pelo Codefat foi de R$ 82,421 bilhões, enquanto o valor efetivamente previsto na Lei Orçamentária Anual foi de R$ 66,348 bilhões.
“PEDALADA”
Para o representante da Força Sindical no Codefat, Sergio Luiz Leite, a decisão de ontem prejudica o trabalhador, em nome da economia de gastos do governo para 2015. “O governo, para economizar em torno de R$ 9 bilhões, estendeu o calendário do pagamento, o que é muito ruim. Isso significa que alguns trabalhadores podem ficar até 18 meses sem receber o abono. (...) É uma pedalada. Em vez de ser a Caixa Econômica ou o Banco do Brasil, agora é o trabalhador que entrou na pedalada”, afirmou. As informações são do Portal G1.
O governo tentou mudar, por meio de medida provisória, as regras para o pagamento do abono salarial.
Atualmente o dinheiro é pago a quem tenha exercido atividade remunerada por, no mínimo, 30 dias consecutivos ou não, no ano, mas o governo queria limitar o pagamento a quem tivesse trabalhado ao menos seis meses. A mudança, no entanto, foi derrubada no Congreso.
Em 2014, pagamento foi antecipado
No último exercício, o calendário de pagamento do abono salarial, que costumava começar em agosto, foi antecipado para julho. Ao todo, o governo estimava pagar R$ 17 bilhões a 23 milhões de trabalhadores.
Os trabalhadores inscritos no Programa de Integração Social (PIS) recebem o abono salarial nas agências da Caixa – no caso de correntistas, o crédito é feito na conta. Os inscritos no PIS que tiverem o Cartão do Cidadão com senha cadastrada também podem fazer o saque em lotéricas, caixas de autoatendimento e postos do Caixa Aqui. Os inscritos devem apresentar um documento de identificação e o número do PIS.
(Pararijos NEWS)

Esfaqueado por causa de pipa


Andrey Dourival Melo e Silva, de 18 anos, esfaqueou um adolescente de 15 anos depois que os dois tiveram uma discussão por causa de uma pipa de plástico. A vítima não corre risco de morte e o agressor foi autuado em flagrante por tentativa de homicídio. O crime ocorreu ontem à tarde, no Distrito Industrial, em Ananindeua.
De acordo com a versão apresentava por Andrey, os dois brincavam na rua quando tentaram agarrar a mesma pipa. Andrey derrubou o adolescente, que se feriu e o ameaçou de morte. “Eu gosto de brincar de pipa e foi sem querer que joguei ele no chão. Depois ele começou a dizer que ia me pegar, que levaria alguns caras para queimar a minha casa. Fiquei com medo, porque eu tenho um filho pequeno, de apenas seis meses”, afirmou o agressor.
A versão é contestada pela vítima. O delegado Otto Wirtz, da Unidade Integrada Pro Paz (UIPP) do Distrito Industrial, contou que o adolescente foi atingido pelas costas e só não recebeu mais facadas porque conseguiu correr. “Se fosse pela frente, poderia ter atingido um órgão vital. Ele já está fora de perigo, mas a perfuração por pouco não atingiu profundamente a coluna, o que poderia ter deixa o rapaz paraplégico”.
Andrey foi preso por uma equipe da Polícia Militar, da 2ª Companhia do 29° Batalhão, sob o comando do sargento César. Ele tentava escapar de ônibus, mas acabou levado até a UIPP. Ele deu trabalho para a polícia, já que apresentou outro nome, mas foi descoberto e atuado em flagrante por tentativa de homicídio. Andrey completou 18 anos recentemente e, durante a adolescência, foi apreendido e cumpriu medidas socioeducativas por causa de roubo qualificado (quando há uso de arma de fogo).
Policiais civis e militares envolvidos na ocorrência não acreditam na versão apresentada pelo agressor e pela vítima, que dizem que tudo ocorreu por causa de uma pipa de plástico. Isto porque testemunhas afirmaram que Andrey foi contratado por traficantes para matar o adolescente. Todas as hipóteses serão investigadas.
(Pararijos NEWS)

Ponto facultado às sextas

A Prefeitura de Belém decretou na última terça-feira, em publicação do Diário Oficial do Município, ponto facultativo às sextas-feiras de julho em todas as repartições públicas municipais.
Segundo o decreto, nos dias 3, 10, 17, 24 e 31 deste mês, funcionarão apenas as unidades e serviços essenciais, entre os quais as unidades de saúde e serviços de proteção social. O Governo do Pará não decretou, até então, ponto facultativo em julho.
Entre os serviços municipais de saúde que funcionarão às sextas-feiras de julho estão unidades de urgência e emergência da Secretaria Municipal de Saúde (Sesma); Central de Leitos e Unidade de Pronto Atendimento (UPA), entre outros.
Funcionarão ainda a fiscalização e o departamento de feiras, mercados e portos da Secon e  cemitérios.
Confira ao lado a lista completa serviços municipais que funcionarão às sextas-feiras de julho.
Serviços municipais que funcionarão às sextas-feiras de julho
 Fiscalização do departamento de feiras, mercados e portos da Secon
 Unidades de urgência e emergência da Sesma e central de leitos
 Unidade de Pronto Atendimento (UPA)
 Hospital Geral de Mosqueiro
 Central de Ambulância 192
 Hospital do Pronto-Socorro Municipal Mário Pinotti
 PSM Humberto Maradei Pereira (Guamá)
 Unidades com urgência e emergência do lpamb
 Cemitérios
 Departamento de Resíduos Sólidos (DRES) da Sesan
 Setores operacionais da Semob
 Setor comercial e de op. e manutenção de redes e sistemas de Abastecimento de Água de Belém (Saaeb)
 Serviços de proteção social especial de média e alta complexidade
 Rede de abrigos e casa de passagem do serviço de acolhida em abrigo para crianças e dolescentes
 Serviço de acolhida em abrigo para mulheres vítimas de violência
 Serviço de acolhida em abrigo para adultos e família em situação de rua
 Setor de Calamidade e Emergência (Sicape)
 Centro especializado para pessoas em situação de rua
 Unidades de plantão da Funpapa e conselhos tutelares
 Serviços essenciais da Guarda Municipal de Belém
 Programa Cuida Belém, Operação Verão/2015, e todo o pessoal sob regime de escala.
(Pararijos NEWS)

OAB irá ao STF se PEC que reduz maioridade for aprovada também no Senado

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) pretende ir ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra a proposta de emenda constitucional (PEC) que reduz a maioridade penal, se o projeto for aprovado em segundo turno na Câmara e também no Senado. O presidente da entidade, Marcus Vinícius Furtado Coêlho, considera inconstitucional a manobra utilizada pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), de levar à votação uma PEC mais branda sobre o tema 24 horas depois de a primeira proposta sobre o assunto ter sido derrotada.
"Temos de ter a clareza que a alteração tópica da redação de uma PEC não é suficiente para retirar um fato: a matéria foi rejeitada em um dia e aprovada no dia seguinte. É justamente esse fenômeno que a Constituição proíbe", afirmou o presidente da OAB, em nota. Ele destaca que a constituição proíbe a utilização de nova votação para matéria já rejeitada no mesmo ano legislativo. "Trata-se do devido processo legislativo. Existe para que maiorias ocasionais não sufoquem as minorias", completou, sem fazer referência direta ao presidente da Câmara dos Deputados.

Coêlho já se posicionou contra a redução da maioridade penal, por entender que a mudança na idade de punição fere cláusula pétrea de Constituição, que não pode ser alterada. "Tanto pelo seu conteúdo, quanto pela forma de sua aprovação, a PEC não resiste a um exame de constitucionalidade", completou o presidente da entidade.

A entidade defende que o mais adequado é aumentar o tempo de internação atual de menores infratores, além de investir em outras medidas como a obrigatoriedade de frequência escolar e pernoite em casa e de aumentar a punição de maiores que utilizam menores de idade para cometimento de crimes. "A OAB reitera sua histórica posição sobre o tema, considerando um equívoco colocar mais alunos nas universidades do crime, que são os presídios do País", completou.

Na madrugada desta quinta-feira, 02, a Câmara dos Deputados aprovou em primeiro turno a redução da maioridade penal, de 18 para 16 anos, em casos de crimes hediondos, homicídio doloso e lesão corporal seguida de morte. A votação da proposta mais branda 24 horas depois da rejeição de projeto sobre maioridade, inicialmente, foi apelidada pelos deputados governistas de "pedalada regimental".
(Pararijos NEWS)

Verão exige cuidados com a pele

Verão exige cuidados com a pele (Foto: Ney Marcondes/Arquivo)
Controlar horário ao sol e usar protetor solar são fundamentais (Foto: Ney Marcondes/Arquivo)
Antes de viajar, o motorista prevenido sempre verifica o óleo, faz revisão dos freios, alinhamento e balanceamento ou pelo menos calibra os pneus. E na lista dos cuidados pessoais não podem faltar a dieta e a malhação, além de roupas de praia novas. Mas e os cuidados com a pele? A chegada do verão paraense marca o início do período de alerta contra o câncer de pele.
O câncer de pele é o tipo de maior incidência no Brasil. Responde por 25% de todos os tumores malignos registrado no país. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer, 98 mil casos em 2014, em todo o país. Cerca de 2 mil novos casos diagnosticados no Pará, no ano passado. A origem da maioria destes casos é a exposição em excesso aos raios ultravioleta do sol.
A boa notícia é que a doença tem altos índices de cura quando diagnosticada precocemente e, por consequência, a prevenção – como sempre - é fundamental. Para a oncologista clínica Paula Sampaio, os pacientes devem ficar atentos a qualquer sinal. “Existem recomendações quanto ao horário de exposição ao sol e uso de protetor solar que são amplamente divulgadas e devem ser levadas a sério, mas, além disso, é preciso que cada um tenha o cuidado de fazer o seu autoexame, que pode mostrar uma alteração na pele a ser investigada”, orienta a especialista. Ela lembra que manchas, sinais que não existiam antes ou feridas que não saram devem servir de alerta. Ter histórico familiar de câncer de pele também é um indicativo de que é preciso prevenir. “Para que tenhamos grandes chances de cura do câncer de pele, é necessário que façamos o tratamento da doença ainda na sua fase inicial”, lembra Paula Sampaio.
A dermatologista oncológica Simone Bentes lembra que vivemos em uma região muito próxima à linha do Equador e por isso temos incidência solar muito forte durante todo o ano. “O correto é as pessoas irem ao dermatologista a cada seis meses para fazer o controle de sinais, mesmo os de nascença”, explica Simone.
(Diário do Pará/Pararijos NEWS)

Jatene foge de perguntas sobre o incêndio no PSM

Jatene foge de perguntas sobre o incêndio no PSM (Foto: Jaime Souza/Arquivo)
Jatene fugiu de perguntas da imprensa sobre envolvimento dele em esquema para ocultar e burlar laudo do Corpo de Bombeiros sobre o PSM da 14 (Foto: Jaime Souza/Arquivo)
Na manhã de ontem, o governador Simão Jatene e o coronel Nahum Fernandes, comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar (CBM), estiveram no evento que comemorava o Dia Nacional do Bombeiro, no quartel do comando-geral da Corporação, em Belém. Era para ser um dia de festa. Jatene e o coronel Nahum discursaram e apresentaram dez veículos de combate a incêndios florestais, adquiridos com recursos federais, de cerca de R$ 16 milhões, conseguidos ainda no governo de Ana Júlia Carepa, junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Havia, porém, um clima de tensão. 
Era a primeira ocasião em que o governador e o comandante-geral do CBM apareciam juntos num evento público, após o incêndio que ocorreu no Pronto-Socorro Mário Pinotti, o PSM da 14, na semana passada e que acabou causando a morte de, até agora, três pessoas. O episódio levou o promotor militar Armando Brasil a declarar a abertura de Procedimento Investigatório Criminal (PIC), para apurar a culpa de Jatene, do coronel Nahum e do prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, no incêndio. 
Suspeitos de estarem envolvidos num esquema para ocultar e burlar o laudo do CBM, do ano passado, que apontou diversas irregularidades no hospital - inclusive problemas na fiação elétrica, que teriam dado origem ao incêndio -, o governador, o prefeito e o coronel podem ser processados. E Zenaldo pode até ser acusado de homicídio doloso indireto, podendo pegar pena de 6 a 20 anos de prisão, conforme denunciou reportagem do DIÁRIO. 
Durante seu discurso no evento, Simão Jatene falou sobre a importância do trabalho dos bombeiros e agradeceu o empenho de todos os integrantes da Corporação. O governador, porém, estava visivelmente tenso. E ficou ainda mais nervoso quando, durante a coletiva à imprensa, a reportagem do DIÁRIO preparava-se para questioná-lo sobre o incêndio no PSM da 14 e o suposto desaparecimento do laudo do CBM. 
No mesmo momento, assessores de Jatene cercaram o governador e fizeram um cordão de isolamento, para tirá-lo do local da entrevista. Com isso, o coronel Nahum Fernandes teve de responder sozinho às perguntas sobre as investigações a respeito do sumiço do laudo e da tragédia no PSM da 14. “Não posso adiantar nada. O perito está fazendo o seu trabalho. Em breve, teremos esse laudo concreto do sinistro que houve no hospital”, disse. E, a cada pergunta que se seguia, o coronel dava a mesma resposta: “Não posso adiantar nada. Vamos esperar o perito concluir o seu trabalho”. 
O comandante-geral do CBM do Pará chegou, ainda, a ser questionado diretamente se o prefeito Zenaldo Coutinho teria feito algum pedido especial com relação ao suposto desaparecimento do laudo emitido em 2014 pelos Bombeiros. Nahum Fernandes poderia negar, dizer que isso nunca aconteceu. Mas o coronel preferiu desconversar e se restringiu a falar da perícia que está sendo realizada com o intuito de apontar as causas do incêndio no hospital. “O Corpo de Bombeiros está elaborando o laudo. Vamos ter um pouco de paciência.”
(Diário do Pará)

Papão jogará completo, contra o Bahia

Líder do Campeonato Brasileiro da Série B, com 22 pontos, o Paysandu se prepara para encarar o Bahia, pela décima primeira rodada do Campeonato Brasileiro, no estádio da Fonte Nova, em Salvador. A partida será disputada na próxima terça-feira, 7, às 19h30. O Papão se apega a, basicamente, dois fatores para pontuar e se manter na disputa pela primeira colocação, e consequentemente, pelo G-4, grupo dos times que se classificam para a Série A do Brasileirão em 2016.
O primeiro fator diz respeito a um aspecto técnico. Todos os titulares, e reservas acionados recorrentemente, estão à disposição da comissão técnica, liderada pelo treinador Dado Cavalcanti. É provável, portanto, que o zagueiro Gualberto e o volante Fahel voltem a compor o time titular, barrando Fernando Lombardi e Fernando Aguiar, respectivamente, que foram titulares e tiveram bom desempenho contra o Atlético-GO, quando o time bateu os visitantes por 2 a 0.
Outra situação favorável é o aproveitamento da equipe bicolor em jogos fora de casa, totalizando 58% de pontos conquistados. Até agora, foram duas vitórias (diante do ABC e Boa Esporte), um empate (contra o Náutico) e apenas uma derrota (frente ao Bragantino).
(Pararijos NEWS)

Pará fracassa em pacto pela educação

Pará fracassa em pacto pela educação (Foto: Bruno Carachesti/Arquivo)
A face cruel: 33,4% dos estudantes paraenses não conseguem completar os ensinos Fundamental e Médio nas idades consideradas adequadas (Foto: Bruno Carachesti/Arquivo)
O movimento “Todos Pela Educação” divulgou ontem o relatório referente ao cumprimento das metas estabelecidas para o biênio 2013-2014. Os números apontam o abismo que ronda a educação no Estado do Pará onde 164.391 crianças e jovens, com idades entre 4 e 17 anos estão fora das escolas. Os que conseguiram concluir o Ensino Médio, mas pararam de estudar, somam 19.758 jovens paraenses. As deficiências apontadas pelo relatório “De Olho Nas Metas 2013-14” mostram que o afamado “Pacto Pela Educação”, divulgado pelo Governo do Pará, é sucesso apenas na publicidade oficial.
Com relação ao aprendizado das disciplinas Português e Matemática, os estudantes paraenses estão entre os piores do país. Na avaliação das taxas de conclusão do Ensino Fundamental aos 16 anos e do Ensino Médio aos 19 anos por unidade da federação em 2013, o Pará apresenta sua faceta mais cruel: enquanto o Distrito Federal é a unidade da federação com a melhor taxa de conclusão do Brasil para o fim da Educação Básica, com 68,1%, o Pará tem a pior taxa nacional, com 33,4%. No Ensino Fundamental é a segunda pior do Brasil, com 49,5, ficando atrás apenas de Alagoas (43,4%). Quando comparada esta taxa com o ano anterior (2012), a evolução do ensino paraense foi pífia: apenas 0,01% de avanço.
As deficiências do ensino da Educação Básica e do Ensino Fundamental do Pará foram apontadas em detalhes no relatório. Elas foram constatadas principalmente através do monitoramento de dados oficiais (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) 2013 e na Prova Brasil/Saeb (MEC/Inep) 2013 divulgados entre o final de 2014 e início de 2015).
O estudo publicado tem o objetivo de acompanhar o cumprimento de cinco metas estabelecidas pelo movimento para serem alcançadas até 2022 no país. A Meta 1, estabelecida em 2006, prevê que “Toda criança e jovem de 4 a 17 anos na escola deverão estar matriculados e frequentando a escola, ou ter concluído o Ensino Médio até o ano de 2022.” Na faixa etária entre 4 e 5 anos, estão fora da escola 38.178 crianças paraenses. Entre os 6 e 14 anos são 26.997 crianças e jovens, e os adolescentes de 15 a 17 somam 47.847, o que aponta para a deficiência no Ensino Médio. 
O movimento Todos Pela Educação mostra que neste dado há enormes diferenças regionais e de aspectos socioeconômicos. “Entre os 25% da população com maior renda, 95,8% das crianças de 4 e 5 anos frequentam a escola, enquanto a taxa de atendimento dessa faixa etária entre os 25% com menor renda é de 85%”, aponta o relatório. “O debate em torno dessa etapa já dura décadas e mostrou poucos avanços. O desafio de se fazer uma escola atraente para o jovem é motivo de discussões que, até agora, não se converteram em políticas efetivas. E qualquer política específica para o Ensino Médio não terá valor se não se resolverem os entraves da etapa anterior, os Anos Finais do Ensino Fundamental, etapa que tem recebido ainda menos atenção das políticas públicas nos últimos anos”, mostra o movimento.
PRAZO
O movimento Todos Pela Educação divulgou ontem o relatório De Olho nas Metas, publicado a cada dois anos para acompanhar os indicadores educacionais do Brasil. Os resultados desta edição referem-se aos anos de 2013 e 2014.
Até 2022, prazo estipulado pelo TPE para atingir todas as metas, pelo menos 95% dos jovens brasileiros de 16 anos devem completar o ensino fundamental e 90% dos jovens de 19 anos devem concluir o ensino médio.
(Diário do Pará/Pararijos NEWS)

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Dilma não é Collor, mas está encurralada

image



O leitor dos três principais jornais de circulação nacional tem diariamente diante de si uma narrativa que busca assemelhar o momento de Dilma ao de Collor, o presidente que sofreu impeachment nos anos 1990. São eixos da narrativa ou das semelhanças: a impopularidade, as denúncias se avolumando e se aproximando da presidente (faz poucos dias Dilma respondeu ao delator em uma aparente mudança de estratégia diante dos fatos), mas também o retrato de uma presidente isolada, que diz frases soltas e desconexas – como se vivesse em um mundo à parte, imagem semelhante à de Collor às vésperas de sair do Palácio do Planalto para, muitos anos depois, ser inocentado pelo STF.
Mas afinal, interessa de fato às oposições derrubarem Dilma? Os próprios jogadores políticos parecem aguardar o desdobramento dos fatos que, após as novas delações vazadas do homem da UTC, ganharam dinamismo. A prisão dos executivos das duas maiores empreiteiras do país, junto com a sugestão velada do juiz de que estas não poderiam participar de futuras licitações, amplia a questão para a seara econômica, dos negócios. Algo assim: vai se criando um clima, um nó, que para as coisas voltarem a andar, a funcionar no país (o que os ingleses chamariam de business as usual), será necessário tirar Dilma. Com o PT esfacelado, o movimento sindical insatisfeito, a opinião pública desiludida, os mais pobres (base social do antigo lulismo) pagando o pato do ajuste, quem resistirá?
O enredo faz sentido, não fosse pela pergunta: e o dia seguinte?
É possível que as peças que se movimentam para cercar a presidente não tenham, ainda, encontrado resposta adequada. Até lá, tem jogo. E pode até virar, nunca se sabe.
Se a política fosse uma disputa de xadrez é capaz que, transcorridos 6 meses de mandato, Dilma já tivesse perdido um cavalo, uma torre, dois bispos e, quem sabe, a Rainha. A esta altura, terminar o jogo empatado já será de bom tamanho para o governo. E para as oposições, até onde vai a brincadeira?
Em primeiro lugar não existe uma, mas várias oposições – a de Aécio não é a mesma de Alckmin, que não e a de Serra nem muito menos a de Eduardo Cunha, este campeão da (eficaz) ambiguidade. Não está claro se o objetivo é o xeque-mate ou uma situação permanente de acuamento. Dilma encurralada, enfim, cedendo até onde os olhos alcançam. A ser salva, quem sabe, pela economia, daqui alguns vários e longos meses, e olhe lá, na melhor das hipóteses.
Seja como for, as oposições parecem apostar em diferentes frentes de cerco, todas com características político-jurídicas. No TCU/Congresso com o julgamento das contas de governo; no STF/CPI com a Operação Lava Jato e no TSE onde há recursos pendentes impetrados pela oposição referentes à campanha de 2014.
Esse caminho de ‘judicializar’ a política, como se costuma dizer, encontra, porém, constrangimentos. Na atual conjuntura, e talvez o principal, no que diz respeito ao menos à Lava Jato, é que há um rol extenso de políticos – tanto da situação como da oposição – na mira de diferentes investigações. Observando o cenário à distância, não parece tão simples a costura de algum pacto “por cima”, nem tão ferrenha a disposição das partes de ir até o fim, doa a quem doer (um chavão muito utilizado na política quando se diz que tal coisa será investigada, de forma “rigorosa”, no mais das vezes).
Dessa pororoca faz-se o Brasil atual.
(

Barros Barreto chega ao limite da crise


A falta de materiais como fios cirúrgicos, grampeadores circulares, capotes, sondas e até luvas cirúrgicas foi denunciada ontem pelos residentes do Hospital Universitário João de Barros Barreto, instituição de assistência, ensino e pesquisa ligada à Universidade Federal do Pará (UFPA), que foi abraçada por residentes, servidores e diretores, na manhã de ontem, num ato simbólico de defesa do hospital. “A gente tenta ao máximo não falhar no atendimento, mas às vezes somos obrigados a adiar uma cirurgia por falta de material. Já operei usando luva de nº 6, quando o meu nº é 7”, disse o jovem residente, Anderson Rocha de Queiroz, do 4º ano em cirurgia do aparelho digestivo.
“A gente não tem contrato de manutenção, então se um aparelho quebra, o jeito é guardar, não temos como consertar’’, frisou Anderson Queiroz. Entre os aparelhos danificados à espera de conserto há respirador (equipamento eletromédico cuja função é bombear ar aos pulmões), desfibrilador (capaz de reverter um quadro de fibrilação auricular ou ventricular), eletrocardiógrafo (aparelho que registra o eletrocardiograma), além de aparelhos portáteis importantes no acompanhamento de pacientes, recém-operados. “Há caso em que não temos nem como diagnosticar, faltam hormônios para tipologias da tireoide, por exemplo”, frisou o médico residente.
(Pararijos NEWS)

Xiaomi chega ao Brasil provocando respostas das concorrentes

Com o lançamento de seu primeiro smartphone aqui no Brasil, a fabricante ChinesaXiaomi espera conquistar aos poucos o mercado de dispositivos móveis, oferecendo o Redmi 2 por apenas R$499 à vista. O dispositivo é posicionado na categoria de médio-custo, e como já falamos antes, possui especificações bem atrativas, que podem proporcionar uma experiência de uso interessante para os que não necessitam de um hardware top de linha, ou não tem “bala na agulha” para comprar um.

Era só uma questão de tempo até outras fabricantes começarem a reagir à chegada da chinesa, a Taiwanesa ASUS, foi uma das que se manifestou primeiro, alterando de imediato o preço do ZenFone 5, sua solução oferecida para o segmento de médio custo, que agora custa R$489, com uma case Flip Cover de graça.
A reação veio através do Facebook em sua fan page oficial, onde acompanhada de uma imagem onde a empresa diz “Chega de MIMIMI”, e oferece o aparelho a preço promocional à partir do dia 02 de Julho às 11:30 (horário de brasília), onde comenta que a promoção é por tempo limitado, enquanto durarem os estoques. Aparentemente, muitos brasileiros estão esperando a chegada do Zenfone 2 aqui, e isso pode ter impactado as vendas do Zenfone 5, mas com a chegada da Xiaomi, a ASUS e sua equipe de marketing tiveram uma ideia interessante para vender parte desse estoque empilhado de Zenfones.
Zenfone 5 vem equipado com 2GB de RAM, tela HD 720p de 5 polegadas, e câmeras de 2MP (frontal) e 8MP (traseira), com um processador Intel Atom 1.2GHz, e é oferecido em modelos Dual-SIM. Além do Zenfone 5, a empresa também resolveu baixar temporariamente o preço do Zenfone 6,  que está sendo oferecido por R$899 (16GB) e R$999 (32GB). Para mais informações, não deixem de visitar apágina oficial da empresa.
(Pararijos NEWS)

Polícia prende acusados envolvidos em fraudes florestais


Divulgação Polícia Civil Divulgação Polícia Civil
A Polícia Civil prendeu 11 pessoas envolvidas em fraudes de créditos florestais no Pará no início da manhã desta quarta-feira (1º) durante a operação 'Crash wood'. Todos os acusados estão presos na Delegacia Geral, em Belém. Os presos são um ex-funcionário da Semas (Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade), que atuava como despachante; uma engenheira florestal, que já havia sido condenada pela justiça por fomentar empresas fantasmas, além de empresários que praticavam crimes ambientais. Um dos empresários já tinha sido condenado a 24 anos de prisão e respondia ao processo em liberdade. As prisões foram feitas em Belém, Ananindeua, Itaituba e Tucuruí.
'Essa operação já tem quatro meses e funcionava da seguinte maneira: basicamente o grupo adquire empreendimentos de fachada e começava a negociar créditos florestais, utilizando também mandeiras no mercado ilegal', destacou o delegado Marcos Miléo.
A quadrilha também é acusada de burlar o sistema do Sisflora (Sistema de Comercialização e Transporte de Produtos Florestais) para realizar as fraudes, já que os créditos eram utilizados para 'esquentar' madeiras oriundas de desmatamento ilegal. De janeiro a junho deste ano, eles teriam movimentado cerca de 400 mil metros cúbicos de produtos florestais, o que representa mais de R$ 300 milhões.
De acordo com informações da polícia, os suspeitos adquiriam produtos florestais também em outros estados, como Amazonas e Rondônia, onde documentos eram 'esquentados' com créditos de empreendimentos do Pará e, em seguida, revendidos para o mercado interno e externo. As investigações também demonstram que os suspeitos tinham uma intensa movimentação bancária, com indícios de crimes de lavagem de dinheiro, onde ocultavam valores obtidos com as fraudes e desmatamento em outras atividades como a revenda de veículos.
(Pararijos NEWS)

Regularização beneficiará 1.300 famílias

Regularização beneficiará 1.300 famílias (Foto: Divulgação)
Dia histórico: o senador Jader Barbalho destacou as oportunidades que a cidade terá a partir de agora (Foto: Divulgação)
No último final de semana, Cachoeira do Piriá, no nordeste do Estado, comemorou um marco histórico em seus 18 anos de emancipação política. Graças a uma solicitação do senador Jader Barbalho, o município recebeu o seu título de Concessão do Direito Real de Uso, regularizando toda a sua área urbana, que ainda estava em terras federais. A cerimônia contou com a presença do senador Jader Barbalho; do ministro da Pesca e Aquicultura, Helder Barbalho; dos deputados federais Simone Morgado, Beto Faro e Lúcio Vale; dos deputados estaduais Carlos Bordalo, Iran Lima e Renato Ogawa; e da prefeita Bete Bessa.
Com a regularização, mais de 1.300 famílias serão beneficiadas com a doação de cerca de 156 hectares de terra. Para Jader Barbalho, a titulação urbana é fundamental para a modernização da gestão fundiária da cidade e da região. “A entrega destes títulos abre um horizonte de oportunidades para que Cachoeira cresça cada vez mais, iniciando assim, um novo ciclo de ordenamento com domínio de sua terra e garantindo mais desenvolvimento e progresso. A cidade merece!”, disse o senador.
A iniciativa faz parte do Programa Terra Legal, do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), que superou neste mês a marca de 300 áreas urbanas doadas para municípios da Amazônia Legal. Ao todo, o programa de regularização fundiária já beneficiou mais de 753 mil pessoas em 97 municípios dos nove estados da região. “Mais uma vez cumprimos o papel de garantir a correta destinação das terras federais na Amazônia Legal”, disse o coordenador do Programa Terra Legal, Raimundo Castanheira.
Com o documento, a Prefeitura pode titular todas as moradias da cidade. “Após 18 anos de espera agora podemos dizer: a terra é nossa! Cada cidadão será o dono da casa onde mora e poderá usar o título para conseguir financiamento, investir na propriedade e ajudar a desenvolver nosso município”, afirmou a prefeita Bete Bessa.
A regularização de terras já é uma marca do senador Jader Barbalho. Através do Iterpa, Jader fez o maior programa de regularização fundiária do Pará. Entre desapropriações urbanas e rurais, foram mais de 40 mil títulos. Bairros inteiros foram desapropriados em Capanema, Castanhal, Altamira e Santarém. Em Belém, uma das áreas foi a Radional. Em Ananindeua, foram várias desapropriações, incluindo a maior de todas, a invasão do Paar. O governo não cobrava pela terra e entrava com a infraestrutura de energia, água, posto de saúde, delegacia, ação social e construção de moradias.

Patrulha Mecanizada
A Prefeitura entregou ainda duas máquinas agrícolas do Projeto Patrulha Mecanizada, adquiridas com recursos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), por meio de emenda parlamentar de Jader.
“As máquinas vêm para apoiar o pequeno produtor rural, que precisam desse suporte. Só temos que agradecer ao senador, que mais uma vez nos ajudou com estes importantes equipamentos”, reforçou a prefeita.
Os investimentos do governo federal em Cachoeira do Piriá se estenderam ainda com a inauguração da primeira Academia de Saúde do município. O Programa Academia da Saúde tem como principal objetivo contribuir para a promoção da saúde da população.
Além disso, a prefeita informou ainda que a parceria com a Funasa possibilitou que nos próximos dias inicie o processo de instalação da rede de água em toda a área urbana da cidade, num investimento de R$ 6 milhões. “Ainda temos muito para crescer, mas graças ao governo federal, Cachoeira está indo no caminho certo”, concluiu.
(Pararijos NEWS)

Empresários são presos por fraudes ambientais

Empresários são presos por fraudes ambientais (Foto: Divulgação)
Cleber Ferreira usava as redes sociais para ostentar viagens, relógios caros, joias e carros de luxo (Foto: Divulgação)
Durante uma operação realizada por policiais civis na madrugada de ontem, foram presos nove homens e uma mulher supostamente envolvidos em fraudes, negociatas milionárias, desmatamento e lavagem de dinheiro, movimentando mais de 300 milhões reais, assim como cerca de 400 mil metros cúbicos de madeira. As investigações começaram em fevereiro deste ano e os valores, segundo a polícia, seriam revertidos a projetos de manejo florestal em áreas de floresta nativa.
Dentre os presos está uma engenheira florestal que já havia sido presa pelo mesmo crime. Ela foi identificada como Rosane do Amaral Freitas. Os demais presos são: Rodrigo Beachine de Andrade, Menandro Souza Freire, Alex Renato Carvalho, André Chacon Rocha da Costa, Arley Figueiredo Rosas, Cleber Eduardo de Lima Ferreira, Edmilson Rodrigues da Silva, Wildemar Rosa Fernandes Filho e Gelson Gomes de Andrade. A maioria é formada por empresários. 
Além do envolvimento no crime, um ponto em comum entre os envolvidos era a ostentação. O empresário Cleber Ferreira, por exemplo, mantinha o hábito de postar fotos nas redes sociais mostrando o seu patrimônio. Há imagens dele exibindo relógios caros, joias, carros de luxo e viagens pelo mundo. Outro envolvido é o empresário Tarcísio Augusto Pereira, que apareceu em imagens dentro de um jatinho, sem camisa e tomando uísque. Tarcísio, que é considerado pela polícia um dos líderes do grupo, está foragido. 
Segundo o delegado Marcos Miléo, do Núcleo de Inteligência Policial e que comandou as investigações, o trabalho foi realizado em parceria com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) em razão de uma inserção fraudulenta de 121.391.300m³ em créditos florestais na Madeireira Sagrada Família. Miléo contou que na primeira fase da investigação, foi presa uma ex-funcionária da Semas, que havia lançado créditos fraudulentos na pasta da Sagrada Família, no município de Pacajás.
O delegado também afirma que não tem dúvida de que se trata de uma organização criminosa que compra empresas, colocando-as em nome de laranjas, a fim de obter um melhor resultado para seus objetivos criminosos, agindo de modo inescrupuloso, utilizando-se de recursos fraudulentos, o uso de empresas fantasmas e a comercialização de créditos florestais em larga escala.
Miléo disse que, de fevereiro até junho deste ano, foi quando a quadrilha mais atuou. Ele divulgou os nomes dos presos, que foram apresentados na Delegacia Geral na manhã de ontem, ouvidos em depoimento e em seguida encaminhados para o Sistema Penitenciário.
Além da capital, a operação foi realizada em Castanhal, Uruará, Tucuruí e Itaituba. No total, 60 policiais civis participaram da ação, entre equipes do Grupo de Pronto-Emprego (GPE), e de Divisões Especializadas. Durante a operação, duas pistolas calibres 38, um revólver calibre 38 e uma escopeta 12 foram apreendidos em posse de acusados de envolvimento no esquema e, assim, eles também vão responder por posse ilegal de arma de fogo.
(Pararijos NEWS)

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Estado tem dinheiro bloqueado após descumprimento

Estado tem dinheiro bloqueado após descumprimento (Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)
O juiz Thiago Tapajós, do município de Monte Alegre, no oeste paraense, bloqueou a quantia de R$ 30 mil do Estado, na terça-feira (30), por descumprimento de decisão judicial que determinou o custeio das despesas de deslocamento da paciente Iraci Carreteiro Ueno para o Hospital Regional do Baixo Amazonas, em Santarém, para que fosse realizada terapia renal.
O juiz havia determinado o custeio de passagens, diárias e estadia pelo tempo necessário ao seu tratamento, sob pena de multa diária de R$ 500. Na decisão de bloqueio, o juiz esclareceu que a medida tem previsão legal.
“O sequestro/bloqueio de quantias nos cofres públicos é medida eficaz para garantir o custeio de tratamento médico indispensável, como forma de concretizar o princípio constitucional da dignidade da pessoa humana e do direito à vida e à saúde”, justificou o juiz.
O magistrado também esclareceu que a decisão foi necessária diante das circunstâncias. “Cabe ao Estado manter o cidadão com um mínimo de dignidade na doença, e não lançá-lo à inevitável morte para não gerar custo ao erário. A medida visa salvaguardar o direito garantido pelo Artigo 196 da Constituição Federal e a demora pode resultar na inutilidade do provimento judicial”.
(Pararijos News, com informações do TJPA)

Fogo na feira da Pedreira


Onze barracas do mercado antigo do bairro da Pedreira foram atingidas por um incêndio, na madrugada de ontem. Seis delas foram totalmente destruídas, duas tiveram muitos danos e precisarão de reformas e três tiveram danos mínimos. Ninguém se feriu.
Para o Corpo de Bombeiros Militar (CBM), duas hipóteses são válidas: fuga de corrente, devido ao mau estado de conservação da fiação da feira; e incêndio criminoso. A Secretaria Municipal de Economia (Secon) providenciará oito barracas desmontáveis para que os feirantes não percam trabalho. Um remanejamento é possível, mas pouco provável. As reformas começarão assim que a limpeza for concluída.
Pela dinâmica do fogo, aponta o tenente Rubem Navegantes, do CBM, o incêndio começou numa barraca de descartáveis. “A fuga de corrente é quando a fiação não tem a proteção adequada. Pelas amostras que colhemos, alguns cabos estão descascados. Isso pode gerar uma centelha que, em contato com um material inflamável, gera o incêndio”, explicou. “Quanto ao incêndio criminoso, cabe investigar. Nunca pode ser descartado”.
O administrador do mercado, Afonso Cardoso, ressaltou que o fogo começou por volta de 1h e foi comunicado por um vizinho que mora ao lado, que gritou para os vigilantes que trabalham durante a madrugada. Os vigilantes tentaram fazer algo para conter as chamas, mas chamaram os bombeiros porque o fogo já havia se alastrado, já que algumas barracas eram de madeira ou tinham material inflamável.
“Acreditamos numa sobrecarga. Essas barracas são antigas e as mercearias, principalmente, eram de madeira. As instalações são antigas, antes para um freezer. Hoje cada barraca tinha dois, três freezers, além de ventilador, televisão, recarga de celular. Não era apropriado para isso”, comentou Afonso.
Os feirantes prejudicados ainda não calcularam os prejuízos, mas no início da tarde de ontem tiveram uma reunião com a Secon para tratar de questões trabalhistas. A Secretaria Municipal de Urbanismo (Seurb) fará as obras de reconstrução.
(Pararijos NEWS)

Ministros entregam casas no Pará

Ministros entregam casas no Pará (Foto: Marco Santos)
Em Bragança, Helder e Kassab estiveram na cerimônia em que moradores receberam chaves de residencial (Foto: Marco Santos)
Aproximadamente cinco mil pessoas foram beneficiadas com novas moradias, no município de Bragança, nordeste paraense, na manhã de ontem. Ao total, foram distribuídas 1.352 casas à população de baixa renda. O Residencial João Mota é uma obra do Governo Federal, através do programa Minha Casa, Minha vida. As cinco primeiras famílias receberam as chaves das mãos do Ministro das Cidades, Gilberto Kassab, do Ministro da Pesca e Aquicultura, Helder Barbalho, e de outras representações políticas do Estado e prefeitura.
Com o projeto, o Governo Federal investiu cerca de R$ 70,3 milhões, e cada imóvel conta com área útil de 36,19 m², divididos em dois quartos, sala e cozinha. Agora, as pessoas que moravam de aluguel, em condições desumanas de moradias, podem contar com uma área de lazer com praças, quadra poliesportiva, arena de vôlei, centro comunitário e playgrounds.
O Ministro das Cidades, Gilberto Kassab, ressaltou a importância das novas moradias para a mudança da região e do Brasil. “Hoje temos em Bragança mais de cinco mil famílias beneficiadas, de um universo de milhões de brasileiros que já receberam suas casas pelo programa Minha Casa, Minha Vida”, disse.
Kassab ressalta que mais de 1 milhão e 400 mil casas estão em construção no Brasil. “No segundo semestre vamos investir quase R$ 3 milhões para construir mais moradias”, prometeu.
Até hoje, o estudante Cleyton de Jesus Santos, de 33 anos, escreve uma história marcada por enfrentar várias lutas. Há 10 anos, uma dor nas costas levou o jovem à cadeira de rodas. Segundo os médicos, uma bactéria na medula óssea teria causado a paralisia nas duas pernas, o que o deixou sem trabalhar e viver de benefício. Portanto, na manhã de ontem, as chaves da casa 27, da rua 6, quadra 15, que foram entregues pelo Ministro Helder Barbalho para Cleyton reabriram a esperança de uma vida melhor para ele.
“Sair do aluguel para uma casa boa, com acessibilidade, é realizar um sonho de anos, que eu não tinha mais. Com apenas um salário mínimo eu tinha que pagar R$ 250 da casa e sustentar a minha esposa com o filho”, desabafou. Para surpresa de Cleyton, sua casa foi uma das contempladas e ganhou toda mobília pelo programa. O residencial também conta com 41 unidades adaptadas para pessoas com deficiência.
“Essas famílias estavam, até então, pagando aluguel caro, morando em condições desumanas. Hoje, passam a ter moradia digna, vivendo em um local melhor e pagando menos por algo que é seu. Portanto, pra gente é um motivo de profunda felicidade”, destacou Helder Barbalho.
“Há um investimento enorme do Governo Federal. São mais de 60 milhões que foram investidos neste conjunto habitacional. São famílias beneficiadas com um lugar digno, em um bairro planejado, com água, esgoto. Isto é a soma a todos os esforços, que são mais 137 mil casas entregues e contratadas pelo projeto Minha Casa, Minha Vida”, pontuou Helder. “Eu só tenho o que confraternizar, pois casa de qualidade é vida de qualidade. Essas obras aquecem a economia local e geram empregos, portanto, é tudo aquilo que desejamos”, concluiu o ministro. 
A doméstica Eulália da Silva Martins, 65 anos, também recebeu as chaves de sua nova moradia. “Sinceramente, é um motivo de muita felicidade. Essa é uma obra que beneficia as pessoas de verdade, com casas de qualidade”, disse.
Eulália já teve a casa própria, mas perdeu tudo até a entrega de ontem. “Não sei nem explicar. Depois de anos, hoje tenho o que é meu”. A deputada federal Simone Morgado também esteve no local e falou sobre a mudança na vida das pessoas a partir de então. “É uma alegria muito grande pra mim, como bragantina, estar vendo a entrega dessas casas do governo da presidenta Dilma. Tenho certeza que hoje os bragantinos vão escrever outra história, principalmente essas famílias que vão morar nessas residências”, afirmou.
Em Itaituba, sudoeste paraense, o programa Minha Casa, Minha Vida também destinou R$ 51,9 milhões para cada unidade que tem área útil de 40,02 m², no Residencial Wirland Freire. Estima-se que 4.000 pessoas sejam beneficiadas com esses imóveis. Os dois empreendimentos possuem infraestrutura completa, com água, esgoto, drenagem, energia elétrica, iluminação pública, pavimentação e urbanização.
(Diário do Pará/Pararijos NEWS)

Evento debate Marketing Digital em Belém

Evento debate Marketing Digital em Belém (Foto: Reprodução/Digitalks)
(Foto: Reprodução/Digitalks)
O marketing digital é uma tendência e uma realidade de todo o país, e os empreendedores e profissionais de Belém que quiserem se aperfeiçoar na área terão uma boa oportunidade de aprimorar conhecimentos e fazer novos contatos. Isso por que a capital paraense recebe no próximo dia 9 a 11ª edição do Meeting Digitalks, evento que discute o que há de mais atual no segmento digital.
Com o tema “Marketing Digital: mercado, tendências e estratégias”, o Meeting apresenta uma mesa de debates com especialistas da área, que discutirão as possibilidades e rumos do setor, além de um momento de encontro para a formação de networking.
O Digitalks é uma empresa especializada no setor de marketing digital em todos os tipos de mídia, atuando inclusive na abertura de novos negócios, realizando o evento em 22 capitais do país.
O Meeting Digitalks acontece no Cosanostra Café, que fica na Travessa Benjamin Constant, 1499, Nazaré, das 16h às 20h. As inscrições e outras informações estão disponíveis pela internet, pelo e-mail fórum@digitalks.com.br ou pelo telefone (11) 3159-1458.
(Pararijos NEWS)

Torcida do Flamengo ameaça jogadores: 'Vão conhecer o terror'

bir foto.O Flamengo vive uma intensa crise no futebol. A torcida está sem paciência com os jogadores e foram até a sede do clube na Gávea para pichar os muros. 'Nós queremos respeito', 'Time sem vergonha' e 'Pouco futebol, muita cachaça' foram algumas frases que estavam nos muros. Cartazes com fotos de jogadores, em momentos de folga, consumindo bebidas alcoolicas também foram colocados. Em um deles (acima), a frase "Não jogam no amor, vão conhecer o terror".

Até o início da manhã desta quarta-feira, as frases nos muros e os cartazes não tinham sido removidos dos muros na sede do Flamengo, o que deve acontecer nas próximas horas. O time rubro-negro entra em campo às 22h desta quarta-feira, contra o Joinville , em Santa Catarina, precisando vencer para evitar uma série de medidas que a diretoria está para colocar em prática, como a demissão do técnico Cristovão Borges e o afastamento de alguns jogadores.
(Pararijos NEWS)

Agora é a hora de se investir na Hidrovia

Agora é a hora de se investir na Hidrovia (Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)
O tempo para se aproveitar a janela aberta para o desenvolvimento da região sul e sudeste está se esgotando e se não for tomada uma decisão rápida para se criar vias locais e de logística para o escoamento da produção de grãos, minerais e todas as outras cadeias de produção, a região poderá perder a oportunidade se a “janela se fechar”. Essas foram as palavras do presidente da Associação Industrial e Comercial de Marabá, Ítalo Ipojucan.
O empresário, que já tem larga experiência no assunto e que retomou novamente o comando da Acim após a morte de Gilberto Leite em novembro de 2014, fala com propriedade sobre o assunto e afirma: Se o governo do estado não olhar logo para a região de Carajás, perderemos uma grande oportunidade que está sendo criada agora para a expansão de nossa economia e para a saída da crise que assola o Brasil e a região. Ele se refere a pelo menos duas situações que acontecem agora: a logística da Soja por meio do Distrito de Miritituba (PA) e da ferrovia Norte-Sul entre Barcarena, no Pará, e Açailândia, no Maranhão.
Esse projetos fazem parte do Programa de Investimentos em Logística (PIL) 2015/2018 do governo federal, foram apresentados pelo ministro dos Transportes, Antonio Carlos Rodrigues, no último dia 22, no auditório da Federação das Indústrias do Pará (Fiepa), em Belém. No total, o investimento estimado na região alcança R$ 24,3 bilhões, que serão destinados para obras de modernização da infraestrutura de transportes do país.Outro projeto apresentado neste caso, pelo governo do estado, é a ferrovia estadual Fepasa.
A ferrovia estadual será uma concessão à iniciativa privada, responsável por todos os investimentos na  implantação e operação da ferrovia. Caberá ao governo estadual a fiscalização e regulação da atividade ferroviária.Diferente do projeto de extensão da Norte-Sul, do Governo Federal, a ferrovia estadual possui um traçado bem maior no território paraense. Iniciaria em Santana do Araguaia e passaria por vários municípios, como Redenção, Xinguara, Marabá, Rondon, Nova Ipixuna, Ulianópolis, Paragominas, Barcarena e Colares.

O problema: Nenhum desses projetos incluiu as obras de derrocamento do Pedral do Lourenço e da Hidrovia Araguaia-Tocantins, que nesse caso, são importantíssimas para a região.Segundo Ítalo Ipojucan, o problema maior é que as obras do Programa de Investimentos em Logística (PIL) e da paraense Fepasa, devem levar no mínimo mais de 10 anos para ficarem prontas. No caso da Hidrovia, segundo estimativas prévias, as obras levariam no máximo dois anos e meio, tempo muito menor e muito mais oportuno. E mais, segundo ele, em dez anos a “janela” atual da oportunidade que vivemos agora, já estará fechada.
“Já temos exemplo de que a Hidrovia é possível, é viável e é competitiva. Nas águas altas (período em que o rio Tocantins está com volume de água bem alto), nós já tiramos pelo segundo ano consecutivo o Manganês e enviamos essas tantas toneladas pelo rio Tocantins, em um porto em Marabá que está em uma fase embrionária”, destacou ele.
“É preciso que a Hidrovia aconteça no tempo real, ela não estabelece competitividade nos setores, eles se completam na verdade. A ferrovia vai dar a dinâmica que o sul do Pará , em cidades como Santana do Araguaia e Tucumã, por exemplo, precisam”, disse Ítalo. “Mas nós estamos falando de algo que enxergamos em um processo mais longo e no imediato, em curtíssimo prazo, temos a Hidrovia que vai tornar certamente um Pará antes e um após a criação dela”, esclareceu Ipojucan.
SOJA
A região de Marabá e das cidades próximas ainda tem um diferencial mais importante para a economia, segundo o presidente da Acim: A produção de grãos em breve vai ser mais influente aqui na nossa região, reforçando ainda mais a implantação imediata da Hidrovia. “O vetor de diversificação e da multiplicidade da oportunidade que essa cadeia (a da Soja e de grãos) vai proporcionar ao nosso universo comercial é infinito, é gigantesco”, disse. “E nós temos que ser capazes de monitorar esse movimento e fazer com que as políticas públicas cheguem concomitante à instalação do movimento e nós possamos estar agregando esses valores, conquistando essas janelas”, disse o presidente da Acim, Ítalo Ipojucan.Mas surgiu uma nova luz no fim do túnel com a indicação da presidente Dilma Ruosseff do nome do ministro da Pesca e Aquicultura Helder Barbalho para conduzir as negociações das obras de derrocamento do Pedral do Lourenço. O anúncio foi feito na semana passada durante a visita da ministra Kátia Abreu e do ministro Helder no parque de exposições de Marabá. Uma reunião em Brasília nos próximos dias deverá dar rumo sobre a situação.
(Pararijos NEWS)

Torcida do Paysandu bate recorde de público nesta Série B


Além da vitória diante do Atlético (GO) nesta terça (30) que valeu a liderança da Série B, a torcida do Paysandu bateu um recorde nesta edição do Campeonato Brasileiro. A Fiel agora é a 'dona' do maior público do campeonato.
A 10ª rodada desta 'Segundona' foi marcante para o Paysandu. O time bicolor conseguiu alcançar o topo da tabela ao ultrapassar o Botafogo (RJ) com 22 pontos conquistados. Outro ponto positivo é o fator torcida. A Fiel marcou presença e bateu o recorde de público na competição que pertencia ao Bahia, na partida diante do Ceará. Com 30.201 torcedores pagantes no jogo de hoje contra o Atlético (GO), o Papão bateu o recorde anterior do time baiano que era de 21.546 pela 7ª rodada.
No total de 6 jogos em casa nesta Série B, o Paysandu já levou um total de 96.446 torcedores pagantes. Tendo uma média de 16.074 torcedores por jogo.
(Pararijos NEWS)

Aulas na rede estadual devem ser estendidas até 15 de julho

O encerramento oficial das aulas nas escolas da rede estadual de ensino relativas ao primeiro semestre será no sábado, dia 4, podendo ser estendido até o dia 15 de julho, conforme prevê instrução normativa da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), publicada no Diário Oficial do Estado (DOE). A Secretaria Municipal de Educação (Semec) encerrou, ontem, o primeiro semestre do ano letivo na rede municipal de ensino. Segundo o Sindicato das Escolas Particulares de Belém, o encerramento das aulas em grande parte das instituições da rede privada ocorreu já na primeira quinzena do mês de junho ou na última sexta-feira, 26. “As que não terminaram nesses períodos encerraram suas atividades nesta segunda-feira, até para garantir os 30 dias de férias dos professores. A data do término varia, porque cada colégio possui seu calendário próprio”, explicou José Roberto Oliveira, secretário da entidade. As aulas nas redes pública e privada serão retomadas na primeira segunda-feira de agosto, dia 3.
No entanto, unidades da rede estadual já estão de recesso. É o caso da Escola Estadual Jarbas Passarinho, localizada na avenida Romulo Maiorana, bairro do Marco, onde os alunos entraram de férias ontem. “Ainda não fomos informados como ficará o calendário de reposição. Gostaria de ficar estudando, até porque acabamos de voltar de uma greve, que durou quase três meses. Para não ficar prejudicada e atrasada, faço cursinho e vou passar o mês de julho estudando em casa”, afirmou a estudante Iarani Amorim, 16 anos, do 3º ano do ensino médio.
Foto: César Perrari/O LiberalFoto: César Perrari/O Liberal
O estudante Josué Calebe Gomes, 13 anos, também gostaria de passar o mês de julho em sala de aula. “Queria a reposição das aulas, pois, por conta das férias de julho, o ano letivo só será encerrado no próximo ano. Sem falar que a greve já foi praticamente umas férias”, argumentou Josué, aluno da 7ª série do ensino fundamental. “Achei ruim entrarmos de férias agora, porque vamos ter que estudar até fevereiro ou março do ano que vem. Atrasa tudo”, avaliou o estudante Paulo Cézar, 13 anos, aluno da 8ª série da Escola Jarbas Passarinho.
Na maioria das unidades escolares da rede estadual, o ano letivo de 2015 será encerrado em fevereiro do ano que vem e o ano letivo de 2016 começará no dia 9 de março. Segundo a Seduc, as aulas de reposição dos dias letivos paralisados em função da greve dos professores estaduais serão remuneradas como aulas extras/suplementares, incidindo sobre estas os adicionais previstos na legislação em vigor. O calendário de reposição das aulas abrange aulas até os quatro primeiros dias do mês de julho, incluindo atividades pedagógicas aos sábados. Cada unidade de ensino define, porém, essa programação com seu  respectivo conselho escolar. A proposta foi elaborada pela secretaria de educação para garantir os 200 dias letivos anuais, previstos em lei, aos 700 mil estudantes das 1.054 escolas estaduais em Belém e interior do Estado, a partir da necessidade de reposição de 45 dias letivos não cumpridos em virtude da greve dos professores estaduais, com mais de dois meses de duração.
Caberá aos gestores das unidades administrativas, as 20 Unidades Seduc na Escola (USEs), com atuação em Belém, e as 20 Unidades Regionais de Educação (UREs), com jurisdição no interior do Estado, o acompanhamento efetivo da reposição dos dias letivos paralisados, de acordo com a instrução normativa. A Seduc informou que as escolas estaduais somente poderão encerrar o semestre ou ano letivo após o cumprimento dos dias letivos previstos para reposição, em conformidade com o calendário a ser elaborado e aprovado em cada Unidade Escolar da Rede Estadual. Esse calendário deverá ser formalizado em documento próprio que explicite a situação vivenciada por cada unidade escolar quanto aos dias letivos paralisados, pois a adesão total à greve não ocorreu em todas as escolas.
(Pararijos NEWS)

A liderança da Série B é alviazul

A liderança da Série B é alviazul (Foto: Mário Quadros / Diário do Pará)
Papão vence o Atlético-GO e assume provisoriamente a ponta da tabela na Série B (Foto: Mário Quadros / Diário do Pará)
Com a vitória de ontem à noite, por 2 a 0, diante do Atlético-GO, o Paysandu assumiu, temporariamente, a liderança da Série B do Brasileiro, somando, agora, 22 pontos, dois a mais que o vice-líder Botafogo-RJ. Foi a sétima vitória do Papão na competição. Não bastasse assumir a ponta da tabela de classificação, o time bicolor ainda obteve, de quebra, o recorde de público na competição, arrastando 30.201 torcedores pagantes ao Mangueirão. A marca é superior aos pouco mais de 21 mil torcedores presentes no jogo entre Bahia-BA e Ceará-CE, pela 7ª rodada do campeonato.
O Atlético entrou em campo disposto a surpreender o adversário. Sem dar bola à pressão da torcida, o Dragão partiu para o ataque, envolvendo o Papão com facilidade. O visitante tirava proveito do excesso de erros de passes dos donos da casa, sobretudo nas saídas da defesa para o meio de campo. O Papão praticamente assistia ao rubro-negro jogar, sobretudo nas investidas de Arthur e Rafinha, nas costas de Pikachu.
O Papão tentava se acertar, mas a afobação prejudicava o time. O Papão até chegou ao gol inimigo, mas em jogadas bem menos agudas que a do oponente, que obrigava o goleiro Emerson a fazer defesas difíceis. Tudo indicava que o primeiro tempo terminaria com a vantagem do visitante ou, no mínimo, o empate. Mas, aos 42, o Papão foi bafejado pela sorte. Numa disputa pelo alto, a bola sobrou para Carlos Alberto, que, de “letra”, deixou Cearense de cara com o gol. O atacante bateu de “cavadinha” para fazer 1 a 0.
O Paysandu voltou bem superior para o segundo tempo, aproveitando o fato de o Dragão ter de sair mais para o jogo. O Papão atraia o adversário para dar o bote nos contra-ataques. Logo aos 10, a estratégia surtiu efeito. Pikachu cruzou da direita na área e Marllon, atabalhoado, meteu a mão na bola. Pênalti, que Pikachu cobrou e fez 2 a 0. O gol abalou o Dragão, que ainda assim continuou insistindo no ataque, mas sem a eficiência necessária nos arremates para pelo menos diminuir a desvantagem.
(Pararijos NEWS)