Google+ Badge

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Muita dívida para a nova gestão do Remo


O começo da administração da nova diretoria do Clube do Remo não será das mais fáceis. De imediato, Minowa e Custódio terão que renegociar uma dívida próxima a R$ 720 mil, referente à falta de pagamento de seis parcelas de R$ 120 mil de um acordo anterior na Justiça do Trabalho.
O clube parou de depositar o valor e também deixou de fazer repasse de um percentual de bilheteria. Se não sair um novo acordo, um bloqueio de todas as receitas do Leão pode ser um gargalo sério para a nova gestão. No futebol, o novo vice azulino prometeu mudanças em outros setores do Remo, visando, principalmente, a reestruturar as categorias de base. Também será ampliado o programa de sócio torcedor e concluída a reforma do Baenão.
“São vários departamentos estratégicos. Nossa prioridade é o nosso sócio torcedor, a conclusão da obra do Baenão, o departamento jurídico - onde temos as chamadas ações trabalhistas -, o nosso futebol profissional e o nosso futebol de base, que eu e Minowa iniciamos no Clube do Remo. Precisamos de um centro de treinamento, estruturar o nosso clube, de ações de marketing, valorizar o sócio remido e proprietário. Além disso, modernizar a nossa sede social para atrair o associado. É nossa meta. Para o final de 2015, teremos de 10 a 15 mil adimplentes”, projetou Custódio.
A questão do estádio Evandro Almeida foi ressaltada por Minowa. Para o novo presidente, é imperativo, ao menos, instalar novos refletores o quanto antes para liberar o Baenão para jogos noturnos. “Temos que colocar refletores no Baenão. Isso é de imediato. Precisamos de jogos noturnos em nosso estádio”. O futebol é um assunto que requer atenção imediata. Todos os adversários do Campeonato Paraense estão bem mais adiantados que o Leão Azul, que corre contra o tempo para montar um elenco. De acordo com Minowa, algo que será bem administrado pelos novos dirigentes.
“Preciso de uns dias para pensar. Segunda-feira (hoje) estará em minha posse oficial. Acredito em minha equipe e na torcida. Foi a vitória da humildade. Tudo de bom virá desse grupo que chega ao poder no Remo”, avaliou o presidente.
Custódio também mostrou confiança nos dias que estão por vir e conclamou a uma união geral dentro do clube. “Não vamos trabalhar sozinhos. Temos uma equipe de qualidade e conclamo a quem apoiou a Chapa 1 para nos ajudar. O mais importante é o clube”, resumiu.