Google+ Badge

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Enem será o processo seletivo da UEPA a partir de 2016


Os integrantes do Conselho Universitário da Universidade do Estado do Pará (Uepa) aprovaram durante reunião ordinária nesta quarta-feira (17), no Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS), a resolução de adesão ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir de 2016.
A Uepa assegura que serão cumpridas integralmente as etapas do Programa de Ingresso Seriado (Prise) já iniciadas nos últimos anos e, inclusive, a atual, cuja primeira prova foi aplicada no dia 16 de novembro deste ano. O Prise e o Processo Seletivo (Prosel) são os atuais modelos usados para a seleção de candidatos a uma vaga na instituição. Com o Enem, os novos critérios de seleção e distribuição de vagas serão definidos por edital elaborado pela Pró-Reitoria de Graduação da Uepa durante o próximo ano.
Antes da aprovação nesta quarta, a proposta foi apresentada pela presidência em reunião do Consun no mês de novembro, quando se iniciaram os debates sobre o assunto. A matéria também foi pauta de debates no Fórum de Graduação, em novembro, e mais recentemente nos debates com alunos e membros da comunidade externa, no Centro de Ciências Sociais e Educação (CCSE).
Na avaliação do reitor e autor da proposta, Juarez Quaresma, a adesão ao Enem só trará benefícios aos novos estudantes da Uepa. “A principal questão que foi discutida a respeito da adesão do Enem, dentre outras, foi aumentar o acesso dos alunos do Estado do Pará às próprias vagas da universidade. Temos um processo seletivo que oferta vagas em 27 municípios, e o Enem é aplicado em 83 localidades. Além disso, o aluno só vai estudar um programa, se submeter a apenas uma prova e disputar vagas em várias instituições de ensino superior no Estado, já que todas as instituições de ensino superior públicas do Pará adotam o Enem”, disse o reitor.
Este ano, o Enem recebeu 465 mil inscrições de estudantes no Pará. Juarez Quaresma também ressaltou que a adesão da Uepa beneficiará, em especial, os estudantes oriundos de escola pública. “Já foi comprovado que o número de alunos que se inscreve no Prise pela escola pública é maior, mas quando passa para a segunda e terceira fases, predominam os alunos de escolas privadas. Agora estará todo mundo no mesmo patamar”, frisou.
Outros benefícios são as possibilidades de os alunos concorrerem a vagas pelos editais nacionais e internacionais das instituições que aderem ao Enem e ainda a vagas pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e bolsas integrais ou parciais do Programa de Universidade para Todos (Prouni), Financiamento Estudantil (Fies) e Programa Ciências Sem Fronteiras.
Criado em 1998, o Enem tem o objetivo de avaliar o desempenho do estudante ao fim da escolaridade básica. Podem participar do exame alunos que estão concluindo ou que já concluíram o ensino médio em anos anteriores. O Enem é usado como critério de seleção para os estudantes que pretendem concorrer a uma bolsa no Prouni. Além disso, cerca de 500 universidades já usam o resultado do exame como critério de seleção para o ingresso no ensino superior, seja complementando ou substituindo o vestibular.
ORM News