Google+ Badge

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Deputados terão salário de R$ 33,8 mil

Deputado Henrique Alves, do PMDB, defende a aprovação de um “reajuste inflacionário”Deputado Henrique Alves, do PMDB, defende a aprovação de um “reajuste inflacionário”
Os líderes da Câmara acordaram, ontem, os reajustes para os chefes dos três Poderes no próximo ano. Deputados, senadores e ministros do Supremo passarão a receber vencimentos de R$ 33,8 mil. A pedido do próprio Executivo, a presidente Dilma, o vice-presidente Michel Temer e ministros de Estado receberão R$ 30,9 mil por mês. A votação seria ontem, mas ficou para hoje.
Os parlamentares correm contra o tempo para votar o projeto. O aumento dos salários das autoridades dos três Poderes da República e do Ministério Público irá gerar efeito cascata, reajustando salários no Judiciário e Assembleias Estaduais. Segundo interlocutores, o maior problema continua sendo o percentual do reajuste: se os salários subirão de R$ 26,7 mil para R$ 30 mil, R$ 33,8 mil ou R$ 35,9 mil.
A Câmara terá que votar hoje os projetos para dar tempo hábil ao Senado de votar as propostas. O reajuste entrará em vigor na próxima Legislatura, a partir de fevereiro. O reajuste menor - de R$ 30 mil, garantindo às autoridades o mesmo percentual dado ao funcionalismo - teria sido proposto pelo governo federal no dia de hoje, segundo uma fonte (ver matéria abaixo).
Desde a retomada dos trabalhos, após o recesso branco da eleição, Câmara e o Senado vêm discutindo a votação dos projetos que reajustam os salários dos 594 parlamentares, da presidente da República, Dilma Rousseff, de seu vice, Michel Temer, e dos ministros de estado para o próximo ano. Ao mesmo tempo, os dois projetos que garantem o aumento nos salários dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e do procurador-geral da República, de R$ 29,4 mil para R$ 35,9 mil, avançaram nas comissões da Casa.
O Globo