Google+ Badge

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Encantos e recantos de São Sebastião da Boa Vista no Marajó

Conviver com o povo local é aprazível
Por: Andrey Muller - Ter a oportunidade de permanecer uma semana com os "manos" da Vila Estância, na Reserva Extrativista TERRA GRANDE é algo ímpar. Paisagens, amizades, problemas compartilhados e a fé renovada são produtos colocados na bagagem de todo aquele que sai da zona de conforto pra ir ver e viver pessoalmente o dia-a-dia dos moradores da área de PAU-DE-ROSA, PATAUAZAL, ESTÂNCIA, TEOTÔNIO, SÃO PEDRO, JUCURARU e outras localidades da RESEX. Importante ressaltar que, essa região fica submersa durante o tempo das chuvas amazônicas. Porém, no verão (agora), tudo fica sêco. Inclusive a fotografia que visualiza rasas de AÇAÍ, demonstra o terreno embaixo da Escola Municipal INDEPENDÊNCIA, local de intenso comércio, que no inverno é dominado pelas águas desde o chão até o assoalho da referida escola. O espelho d'água que resta não ultrapassa 10cm, impossibilitando o tráfego e determinando horas de caminhada ou a utilização de motos e bicicletas no transporte de mercadorias e pessoas. Conviver com esses boavistenses, nos faz repensar a vida e a fé. Durante o verão, são necessárias 8hs de viagem, alternando rabeta, rabudo e pelo menos 1h de caminho a pé para se chegar a Vila Estância. De lá para as demais localidades, são consumidos 2hs de moto ou 5hs a pé. Em alguns pontos é possível avistar bandos de capivaras, nos córregos jacarés, sucuris, além de macacos-guaribas, e muitos outras espécies nativas. Sentir-se pequeno diante daquela natureza é sentir a grandeza de Deus à nossa volta. Mas, todo esforço para se chegar até lá é recompensado pela calma e paz encontrados naquele santuário boavistense. 

Belezas que a natureza oferece a quem preserva
Resultado de um trabalho que fomenta o comércio local
A sombra de uma árvore é sinônimo de refesco
O comércio com suas alternativas de escoamento
Detalhe da rusticidade do local mantido em pé pelos moradores