Google+ Badge

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Presos matadores de oficial em Belém


Quatro pessoas envolvidas no assassinato do oficial de justiça Ricardo Varjão, de 26 anos, ocorrido na última sexta-feira, foram presas na madrugada ontem por uma equipe de policiais civis que investigava o crime. Saturnino Queiroz Júnior, de 26 anos, Nilson Fernando Rodrigues, de 24 anos, Célio Martins Melo Filho, de 30 anos, e um adolescente de 17 anos, foram capturados em casas diferentes da Passagem Santa Fé, no Guamá, em Belém.
Os policiais dizem que eles atiraram no oficial de Justiça quando tentavam assaltar a vítima. O adolescente infrator confessou que efetuou os dois disparos que mataram Ricardo Varjão. Com eles foram apreendidos cocaína, maconha, munição de arma calibre 38, além de uma moto e dois carros utilizados no crime
O delegado Cláudio Galeno, diretor da Divisão de Homicídios (DH), que investiga o crime, atribui a prisão dos acusados à parceria entre a DH, e a Divisão de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR). “As informações que nos tínhamos, como o retrato falado do menor, bem como a roupa que ele usava, foram repassadas para a DRFR. Com essa informação e outras que eles conseguiram obter nas ruas, a quadrilha foi identificada e presa”.
O delegado Éder Mauro, da DRFR, disse que as prisões foram efetuadas uma por uma, na casa de todos os acusados, no Guamá, graças a um informante que sabia a identidade dos envolvidos no crime. “Tivemos uma reunião, anteontem à noite, com os colegas da DH, e eles nos repassaram informações importantes. Fora isso, conseguimos, através de um informante que sabia de toda a situação do assassinato, identificar quem eram essas pessoas e qual a participação de cada uma delas no crime”, disse.
DROGAS
Com os acusados a polícia aprendeu 60 gramas de pasta base de cocaína e aproximadamente 100 gramas de maconha, além de dez munições de revólver calibre 38, a mesma utilizada para matar o oficial de justiça. Também foram apreendidos o táxi utilizado no roubo, o Voyage branco de placas OTH - 2042, o Agile amarelo de placas NSJ - 2640,e uma motocicleta Yamaha preta, placa OSZ - 0088. Os dois capacetes dusados no crime também foram apreendidos. “Os veículos foram todos reconhecidos pelas testemunhas e pela viúva que confeccionou o retrato falado que condiz exatamente com as feições do assassino, bem como a moto utilizada e o carro também”, disse
o delegado Galeno.
O delegado Éder Mauro disse que o modus operandi utilizado pela quadrilha no assalto frustrado do oficial de justiça é o mesmo utilizado em crimes tipo saidinha bancária. “Há sempre uma pessoa acompanhando a vítima no interior de um estabelecimento comercial, que entra em contato com seus parceiros que esperam do lado de fora do local. Quando a vítima sai, ocorre o assalto. No caso do oficial de justiça, não foi diferente, o Célio Martins foi o olho de águia, que acompanhou o oficial dentro do shopping e o escolheu como vítima da quadrilha. Depois, ele repassou informações para Nilson Fernando, o taxista, e o “pegador”, no caso, o adolescente que estava armado. Quando a vítima saiu do estabelecimento comercial, o taxista e o adolescente seguiram ele, no táxi, como também um outro componente da quadrilha, pilotando uma moto, o Saturnino. No momento em que eles acharam oportuno, abordaram o carro do oficial de justiça, anunciaram o assalto e depois os disparos”, descreveu o policial.
ORM News