Google+ Badge

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Servidores em greve exigem benefício

Servidores em greve exigem benefício (Foto: Bruno Carachesti)
(Foto: Bruno Carachesti)
Em busca de respostas para a reivindicação que levou a categoria à greve desde a última terça-feira, cerca de 30 servidores da Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará) protestaram, na manhã de ontem, em frente à Secretaria de Estado de Planejamento (Seplan), na rua Boaventura da Silva. Tendo o pedido de cumprimento do Prêmio de Produtividade indeferido, os servidores exigem uma explicação por parte do Governo.
A diretora do Sindicato dos Servidores do Setor Público Agropecuário e Fundiário do Estado do Pará (STAFPA), Rose Pantoja, aponta que o benefício já deveria estar sendo pago aos servidores do órgão desde abril. Quase 7 meses depois, porém, a categoria não foi contemplada com a gratificação. “Conversamos com a direção da Adepará e eles disseram que a situação estaria nas mãos da Seplan porque o problema era a falta de recursos.”
Destinado a todos os 1.700 servidores do órgão, o benefício daria direito ao recebimento de uma espécie de gratificação quando os valores arrecadados pela Adepará superassem a meta estabelecida para o ano. O Prêmio de Produtividade estaria previsto no Plano de Carreira da categoria e estabelece que 40% do excedente da meta de arrecadação do ano deve ser rateado entre os servidores. “O nosso pedido da produtividade foi indeferido e exigimos saber qual o motivo disso.”
Munidos de uma faixa preta, que destacava o período de greve e com camisas personalizadas, os servidores aguardaram por uma resposta durante toda a manhã. “O benefício foi aprovado há dois anos e o pagamento não foi garantido pelo Governo”.
A assessoria de imprensa da Seplan informou que não houve indeferimento do pedido, “mas uma necessidade de avaliação desse pagamento, em função de se manter os gastos públicos dentro do disposto pela Lei de Responsabilidade Fiscal”. Informou ainda que o secretário José Alberto Colares recebeu a comissão e que foi proposto novo encontro, com a Casa Civil e Sead, a ser agendado, para discutir o assunto. 
(Cintia Magno/Diário do Pará/Pararijos NEWS)