Google+ Badge

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Petroleiros param produção (GREVE)

Plataformas na Bacia de Campos, no Rio: produção interrompida ameaça abastecimentoPlataformas na Bacia de Campos, no Rio: produção interrompida ameaça abastecimento
Das 44 plataformas instaladas na Bacia de Campos para a produção de petróleo e gás natural, 23 tiveram o funcionamento completamente interrompido durante a greve liderada pela Federação Única dos Petroleiros (FUP). Outras oito plataformas operam parcialmente. Com isso, cerca de 500 mil barris de petróleo por dia (bpd) deixaram de ser produzidos desde o início do movimento, às 19h deste domingo, 1, estima o Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF), ligado à federação. O volume representa 25% da produção total da Petrobrás.
Em cinco plataformas da Bacia de Campos, a produção está sendo mantida por pessoal de contingência selecionado pela Petrobrás. O diretor do Sindipetro-NF, Leonardo Ferreira, acusa a empresa de escalar para o trabalho funcionários que ocupam cargos de coordenação, sem experiência na rotina operacional.
Em nota oficial, a Petrobrás informou que toma medidas para garantir "a segurança dos trabalhadores e das instalações" e também para manter abastecido o mercado interno de combustíveis. Segundo a empresa, as consequências da greve ainda são avaliadas. "Em alguns locais, estão ocorrendo bloqueios de acessos, cortes de rendição de turno e ocupação", traz o comunicado da Petrobrás. (Pararijos NEWS)