Google+ Badge

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Ficou muito difícil


O Paysandu tornou o sonho do acesso à Série A uma missão quase impossível. Ontem, sofreu com momentos de apagões e foi derrotado pelo América-MG por 3 a 1, com gols de Marcelo Toscano, um em cada tempo, e de Richarlison. Para os bicolores, Yago Pikachu descontou, já nos acréscimos do segundo tempo. O revés, consumado no estádio Independência, em Belo Horizonte, empurrou os bicolores para a oitava posição da Série B do Campeonato Brasileiro, ainda distante dois pontos do G-4. Mas a rodada ainda será concluída no final de semana. Aliás, o Bragantino-SP venceu o Mogi Mirim-SP e assumiu a quarta colocação do nacional.    
Matematicamente, a ascensão paraense à Primeira Divisão ainda é possível. Para o Paysandu, a hipótese mais provável seriam quatro vitórias nas últimas quatro rodadas seguintes. O Papão enfrentará Mogi-Mirim (fora), Luverdense (casa) e Criciúma (casa) e encerarrá a campanha pegando o Oeste (fora). No entanto, a goleada acachapante deu a sensação de que a campanha bicolor já lida com um esgotamento físico, técnico e tático.
O Paysandu tomou a iniciativa, surpreendentemente. Em um primeiro momento, o América-MG ficou preso à marcação e restringindo o seu jogo aos lançamentos longos. Os bicolores avançaram os laterais não simultaneamente e tinham o controle do setor de meio-campo. No entanto, a estratégia aparentemente positiva esbarrou em erros na saída de bola. Aos sete, o primeiro sinal. Uma bobeada individual resultou na finalização de Toscano, dentro da área. Por sorte, a bola foi para a fora. A falha nasceu de um passe errado do volante Fahel. Aos 11, outra saída de bola equivocada. De forma veloz, o Coelho retomou a bola e o cruzamento para foi preciso.  Marcelo Toscano concluiu, dentro da pequena área, assinalando o primeiro gol da partida.
Nos demais momentos, o Paysandu voltou a tentar controlar a posse, tomando a iniciativa, porém, os contra-ataques adversários eram perigosos. Aos 21, a troca de passes bicolor foi eficiente, mas caiu no pé errado. Cearense enganou o marcador, Aylon tocou na bola e Fahel se viu na cara do gol, livre de marcação. Porém, o volante tentou driblar o goleiro, mas exagerou no toque e se jogou na área. Acertadamente, o árbitro mandou o lance seguir. A marcação alviceleste era agressiva, no campo adversário, buscando roubar a bola ainda na intermediária. O jogo estava movimentado e equilibrado. O Papão era mais incisivo e o Coelho conseguia relativo sucesso na troca de passes, aproximando-se da meta do goleiro Emerson. Aos 35, Gualberto cabeceou uma bola para baixo e João Ricardo fez uma defesa de segurança, evitando o empate.            
Com segundos, uma finalização bicolor, dentro da área, mas defendida pelo goleiro, dava a sensação de que o Paysandu adotaria uma postura agressiva. No entanto, Richarlison também perdeu um gol incrível. No lance, Emerson fez uma defesa com alto grau de dificuldade, com as pernas. O Paysandu confundiu pressa com afobação e foi dando espaços aos poucos. Com facilidade, uma finalização na entrada da área, um rebote do goleiro Emerson e Marcelo Toscano marcaria o segundo gol, aos sete minutos. Nos outros momentos, o Coelho desandou a perder gols, explorando as costas dos laterais, principalmente, de Yago Pikachu.    
A partir dos 25 minutos, o Paysandu evoluiu, contudo, os gols da reação não se consumaram. Do lado mineiro, mais eficiência. Richarlison, aos 31 minutos, disparou na cara do gol e tocou na saída do goleiro, para ampliar o marcador. Roni concluiu na trave e depois foi calçado, em lance de pênalti. Betinho também teve chance, mas foi Yago Pikachu quem descontou, já aos 47 minutos. (Pararijos NEWS)