Google+ Badge

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Folia nas ruas de Vigia



Criatividade, alegria e diversão em fantasias dos mais variados estilos marcaram o carnaval de rua de Vigia de Nazaré, no nordeste paraense, onde foliões de dois blocos tradicionais saíram pelas ruas da cidade ontem à tarde: As Virgienses e Os Cabraçurdos. Ambos tiveram como tema os 400 anos da cidade.
A forte chuva que caiu sobre Vigia durante a tarde não esmoreceu os brincantes. Segundo a organização do carnaval de Vigia, mais de 100 mil pessoas participaram dos blocos.
Com o tema “400 beijos para Vigia”, as Virgienses começaram a desfilar pelas ruas estreitas por volta de 17 horas. Na concentração, os foliões receberam copos de caipirinha. A organização do bloco fez mais de mil litros de caipirinha para distribuir aos brincantes. O bloco tradicional é formado exclusivamente por homens vestidos de mulher.
“Há 31 anos que o bloco sai às ruas. Ele foi o pioneiro na cidade. Em uma época que tinha apenas o baile de carnaval à noite. Neste ano resolvemos homenagear Vigia, que fez 400 anos. Aqui tem muita diversão e criatividade. Nem a chuva afasta o folião”, disse o presidente das Virgienses, Tiago Palheta, que distribuía a caipirinha na concentração.
Dois trios saíram pelas ruas, arrastando As Virgienses. Um foi comandado pelo Clube Musical União Vigiense, que tem 100 anos, e o outro pelo Sorriso Moleque. As músicas foram as marchinhas de carnaval e também os sucessos do axé, samba, forró e sertanejo. O bloco terminou no corredor da folia, que fica no espaço cultural Dia Pê.
Criatividade - As fantasias usadas pelos brincantes foram criativas. Teve homem vestido de “Senhorita Andreza”, célebre nas redes sociais pelo convite a uma festa com drogas e sexo e que depois foi presa; outros se vestiram de Elsa, do filme “Frozen”, de mulher-gato, de princesa, de guerreira. Tinha fantasia bem elaborada, com peruca, acessórios, vestido com as características do personagem escolhido.
E outras bem simples, mas que mesmo assim não deixavam de ser descontraídas. Uma toalha, uma peruca velha, meia-calça, sutiã da esposa e até a camisola eram peças que ajudaram os rapazes a compor o modelito para usar no bloco As Virgienses. A música “Meu violão e o nosso cachorro”, da dupla Simone e Simaria, também inspirou muitos brincantes, que levaram um poodle e um violão, colocaram saia, blusa e bota e saíram desfilando pelas ruas.
Chuva - Para não molhar a fantasia no Vigia de Nazaré, ontem muitos foliões incorporaram guarda-chuva e sombrinha, elemento essencial usado por muitos brincantes por causa da chuva forte. Outros curtiam a folia até debaixo d’água.
“O importante é se divertir. Imagina você vir para uma cidade onde as pessoas estão para se divertir. Não tem perigo e nem preconceito. Aqui o homem se veste de mulher, a mulher de homem, e tudo corre na maior paz. Isso me atraiu. Meu amigo me convidou e eu vim. A minha fantasia foi improvisada. Peguei um vestido emprestado, coloquei a peruca, passei o batom e pronto. Estou pronto para a folia. Nem a chuva vai impedir a gente de brilhar”, afirmou o estudante Gregório Neto, 20 anos, que participou pela primeira vez do bloco As Virgienses.
Jorge Lima, 44 anos, e os amigos foram fantasiados de mulher gato. O grupo curte há 16 anos o Carnaval em Vigia. Com o tema “Mulher gato na captura da gurijuba em Vigia”, Jorge e os amigos saíram pelas ruas divertindo quem passava e também se divertindo.
“Dizem que o caldo da gurijuba é afrodisíaco, nada melhor do que vir fantasiado assim. Participamos do carnaval há 16 anos e sempre é muita alegria”, disse ele.
Barba - No bloco Os Cabraçurdos as mulheres optaram pelo tradicional bermudão, boné e rosto pintado com detalhes de uma barba. “É meu primeiro ano em Vigia e estou gostando. Volto só na quarta-feira para casa e até lá ainda tem muito o que curtir”, afirmou a estudante Meridian Correa, 19 anos. A segunda-feira de folia em Vigia terminou com o bloco Gaiola das Loucas, que também tem homens vestidos de mulher. Mas nesse as mulheres também podem participar. (Pararijos NEWS)