Google+ Badge

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Bola parada na chuva pode ser a saída bicolor

Bola parada na chuva pode ser a saída bicolor (Foto: Fernando Torres/Paysandu)
(Foto: Fernando Torres/Paysandu)
O último treino da Quarta-feira de Cinzas, no bom gramado do campo do Kasa, em Ananindeua, foi debaixo de um aguaceiro pesado. A chuva caiu sem dó nem piedade e o técnico bicolor Dado Cavalcanti não aliviou na atividade.
Para alguns jogadores, como o lateral-esquerdo Raí, foi o momento de ser melhor apresentado à famosa ‘chuva da tarde’ de Belém. Alertado sobre o clima chuvoso no início do ano, o atleta avaliou que esse tipo de treino, por mais desgastante que seja, acaba por ser a melhor preparação para os jogos. “Esperamos sim que não chova, porque o nosso time é leve e se aproveita melhor do campo seco, mas estamos nos preparando o melhor possível para jogar nesse clima. É complicado jogar debaixo de chuva assim, mas esperamos fazer um bom resultado lá em Santarém”, argumentou.
Raí apontou que o treino com ênfase em bola parada é muito importante nessas situações. “O professor treina muito a bola parada, especialmente defendendo. Demos uma ênfase agora por conta dos últimos jogos, quando não nos saímos muito bem nos lances de defesa e quase nos complicamos, mas felizmente conseguimos nos recuperar. Em jogos com gramado encharcado, um lance de bola parada muitas vezes é o que define a partida”, explicou Raí.
O lateral não tem muitas informações sobre a equipe do São Raimundo, mas afirma que é preciso respeitar os vice-líderes do Grupo A2. “O respeito precisa haver, como sempre é. Eles estão bem, vão brigar pela classificação. Aqui todo mundo está treinando forte para vencer”, avisou o jogador.
(Taion Almeida/Diário do Pará/Pararijos NEWS)