Google+ Badge

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Veja trechos de diálogos que levaram o senador Delcídio do Amaral à prisão

Após pedir a prisão do senador Delcídio do Amaral (PT-MS) ao Supremo Tribunal Federal (STF), a Procuradoria-Geral da República (PGR) divulgou trechos de diálogos do parlamentar com Bernardo Cerveró, filho do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró que serviram como base para que a prisão preventiva dele fosse decretada. Segundo investigadores da Lava Jato, Delcídio tentou interferir nos trabalhos.
Veja abaixo alguns desses trechos disponibilizados pela PGR ao Supremo:
Pagamento mensal de R$ 50 mil a Cerveró
Sobre o acordo de pagamento mensal à família de Cerveró, o documento enviado por Janot ao STF traz trecho de uma conversa entre Delcídio, o advogado Edson Ribeiro e o filho do ex-diretor da Petrobras.
Para Janot, com a conversa, fica "induvidoso que essas pessoas não estão medindo esforços para influir nos itinerários probatórios da Operação Lava Jato".
 
Advogado Edson Ribeiro: Só pra colocar. O que que eu combinei com o Nestor que ele negaria tudo com relação a você [Delcídio] e tudo com relação ao (...). Tudo. Não é isso?" [...] "Tá acertado isso. Então não vai ter. Não tendo delação, ficaria acertado isso. Não tendo delação. Tá? E se houvesse delação, ele também excluiria.
Delcídio do Amaral: É isso [...] E aí a gente encaminha as coisas conforme o combinado. Vê como é que vai ser a operação de que jeito contratualmente, aquilo tudo que eu conversei com você.
Delcídio do Amaral: Bernardo, esse é o compromisso que foi assumido, né? E nós vamos honrar.
Interferência no STF
No pedido de prisão enviado ao STF, Janot transcreve trechos das conversas de Delcídio do Amaral com o filho de Nestor Cerveró. Em um dos trechos, o senador diz que precisa "centrar fogo no STF", referindo-se a ministros com quem teria conversado para tentar blindar o ex-diretor da Petrobras.
Delcídio do Amaral: Eu acho que nós temos que centrar fogo no STF agora, eu conversei com o Teori [Zavascki], conversei com o [Dias] Toffoli, pedi para o Toffoli conversar com o Gilmar [Mendes], o Michel [Temer] conversou com o Gilmar também, porque o Michel tá muito preocupado com o [Jorge] Zelada, e eu vou conversar com o Gilmar também.
Edson Ribeiro: Quem seria a melhor pessoa pra falar com ele [Gilmar Mendes], Renan [Calheiros], ou [José] Sarney]?

Delcídio do Amaral: Com o Gilmar, não, eu acho que o Renan conversaria bem com ele.
Após a PGR disponibilizar trechos das conversas de Delcídio que serviram como base para a prisão dele, a assessoria de imprensa do vice-presidente Michel Temer informou que ele “jamais” tratou desse tipo de tema com Delcídio do Amaral.
Além disso, após sessão do STF, o ministro Dias Toffoli declarou que a Corte "não vai aceitar nenhum tipo de intrusão nas investigações que estão em curso" e o ministro Gilmar Mendes negou ter recebido “apelo” para ajudar Cerveró. “Não tive oportunidade de receber qualquer referência em relação a esse fato”, disse.
O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse nesta quarta que não acompanhou detalhes da prisão de Delcídio mas defendeu que a "separação dos Poderes" seja preservada.
"Eu não vejo sinceramente a possibilidade de haver uma influência de um Poder sobre outro Poder", disse em entrevista no Senado, sem comentar a citação a seu nome.
Plano de fuga
Em outro trecho da conversa entre Delcídio e o filho de Cerveró, o petista afirma que o “foco” deve ser tirar o ex-diretor da Petrobras da prisão. Logo depois, o filho de Cerveró diz ao petista que estava pensando em uma rota de fuga pela Venezuela e que o “melhor jeito” seria fugir em um barco. Pouco depois, Delcídio sugere, então, que a melhor rota de fuga seria pelo Paraguai.
Delcídio do Amaral: Agora a hora que ele sair tem que ir embora mesmo.
Bernardo Cerveró: É, eu já até pensei, a gente estava pensando em ir pela Venezuela, mas acho que deve, se sair, sai com tornozeleira, tem que tirar a tornozeleira e entrar. Acho que o melhor jeito seria um barco. Porque aí chega na Espanha, pelo menos você não passa por imigração na Espanha. De barco, de barco você deve ter como chegar.
Delcídio do Amaral: Não, mas a saída pra ele melhor, é a saída pelo Paraguai. [...] Tem que pegar um Falcon 50 [modelo de avião], alguma coisa assim. Aí vai direto, vai embora. Desce na Espanha. [...] Falcon 50, o cara sai daqui e vai direto até lá. (Pararijos NEWS)