Google+ Badge

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

"Não sei do que se trata", diz vereador preso

Raul Batista prestou depoimento na sede da Polícia Federal (Foto: Ney Marcondes)
O vereador de Belém e pastor da Igreja Universal do Reino de Deus, Raul Batista, negou que tenha participação nas fraudes na concessão de seguro defeso ao pescador artesanal. Ele foi preso, na manhã desta quinta-feira (22), pela Polícia Federal, que investiga mais 17 servidores e intermediários ligados aos órgãos públicos responsáveis por essa concessão, no estado do Pará.
Batista afirmou à reportagem da RBATV que os 100 mil reais encontrados na residência dele hoje são provenientes da venda de um automóvel.  "Não tenho consciência do que se trata, mas, assim que souber, vou prestar todo esclarecimento", disse.
Keimeson Nascimento, advogado de Raul Batista, está preparando a defesa do pastor. "Temos que ter acesso ao inquérito e provar que ele não tem relação com a superintendência, ou cargo relacionado a seguro defeso", afirma. 
Após prestar depoimento na sede da Polícia Federal, em Belém, Raul Batista foi encaminhado para o Centro de Recuperação Especial Coronel Anastácio das Neves, no complexo de Americano, em Santa Isabel, onde ficará preso em cela especial.
As investigações da Operação Arapaima, deflagrada hoje, começaram em 2014. O inquérito policial instaurado é de abril de 2014, para apurar e identificar os membros que agiam na organização criminosa. De acordo com as investigações, as atividades ilícitas eram realizadas com a inserção de dados falsos no sistema de registro geral da pesca (RGP), possibilitando o cadastramento de pessoas que não seriam pescadores artesanais.
Policiais devem cumprir, ao todo, 17 mandados de prisão e 17 mandados de busca e apreensão hoje em Belém, Ananindeua, Soure, Cametá, Santa Isabel e Altamira.
(DOL, Pararijos NEWS com informações de Marcos Aleixo/RBATV)