Google+ Badge

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

PM é morta em Santarém

 
A subtenente da Polícia Militar Silvia Margarida Lima Sousa, de 44 anos, morreu depois de ser baleada na cabeça, por volta das 8h30 de ontem, em Santarém, oeste do Estado. A vítima teve a pistola ponto 40 roubada. O latrocínio ocorreu perto da sede do quartel do 3º Batalhão da Polícia Militar (BPM), onde Silvia trabalhava. Sebastião de Sousa Barbosa Neto, detido por porte de drogas no final da tarde de ontem, em Rurópolis, sudoeste paraense, confessou ter atirado contra a subtenente.
Silvia estava em serviço, mas precisou ir até a casa da mãe, localizada na avenida Plácido de Castro. Ao chegar em frente à Associação de Moradores do Bairro de Caranazal, ela foi abordada por dois assaltantes armados, que estavam em uma motocicleta. Baleada, a vítima foi socorrida por paramédicos e levada até o Hospital Municipal em Santarém, mas não resistiu ao ferimento.
Logo após o crime, três pessoas foram assassinadas na cidade, mas a polícia nega que as ocorrências tenham relação. De acordo com a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), um homem morreu numa troca de tiros com policiais militares. As outras duas mortes ainda estão sendo investigadas. Tentativas de homicídio também foram registradas ontem, em Santarém, e três pessoas que foram baleadas permanecem internadas em hospitais.
Prisão - De acordo com o delegado Gilberto Aguiar, superintendente da Polícia Civil do Baixo Amazonas, Sebastião Barbosa foi pego durante operação de rotina da Polícia Militar. Ele usou nome falso ao ser abordado pelos PMs. Depois de matar a policial, o bandido seguiu para o quilômetro 145 da Santarém-Cuiabá, sentido Rurópolis. Pouco antes, ainda em Santarém, ele escondeu, na casa de um traficante, a arma roubada da policial e a motocicleta usada no latrocínio. A polícia já apreendeu a motocicleta.
O criminoso foi identificado graças a uma troca de informações entre policiais de Santarém e de Rurópolis. Sebastião Barbosa já tem passagem pela polícia por crimes praticados em Santarém e Juruti, onde nasceu. Antes do latrocínio o criminoso assaltou, junto com o comparsa, uma farmácia em Santarém. O assalto foi registrado pelas câmeras do estabelecimento, o que ajudou na identificação de Barbosa. O homicida também é acusado de incendiar um carro da PM em Juruti. A Polícia Civil decidirá se o preso será transferido para Belém. Não há informações sobre o paradeiro do comparsa dele.
Dupla de ladrões não se intimidou ao ver a farda da vítima
Uma nota divulgada pela Polícia Militar indica que Silvia Margarida Lima Sousa foi morta ao reagir ao assalto. A morte dela causou comoção no 3º Batalhão da Polícia Militar (BPM). O marido da subtenente, Emmanoel Sousa, que também é policial militar, foi quem fez o registro da ocorrência, ontem à tarde. A vítima estava na corporação havia quase 25 anos. A promoção a subtenente era recente e faltava pouco tempo para Silvia se aposentar.
O corpo de Silva está sendo velado desde a noite de ontem, na igreja de São Francisco, no bairro Caranazal. O sepultamento está previsto para as 16 horas de hoje, no cemitério municipal Nossa Senhora dos Mártires. Por meio de nota, a PM informou que está dando assistência à família da policial: “O Fundo de Assistência Social da PM se responsabiliza pelo serviço do velório e sepultamento da agente de segurança. Os familiares têm apoio psicológico oferecido pelo Centro Integrado de Psicologia e Assistência Social”.
O presidente da Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e dos Bombeiros do Pará, cabo Francisco Xavier, destaca que o fato de a vítima estar fardada revela a gravidade do crime. “A maior parte dos policiais mortos estava de folga. No caso dela, a policial estava fardada, o que demonstra que o criminoso não se intimidou. O governo do Estado precisa tomar uma atitude urgente e trabalhar por uma política de segurança pública efetiva para toda a sociedade, pois a situação só está se agravando. É preciso leis mais duras também, mais segurança nos presídios, algo precisa ser feito”, afirmou. (Pararijos NEWS)