Google+ Badge

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Nove são denunciados pela morte do Cabo Pet

Nove são denunciados pela morte do Cabo Pet (Foto: Reprodução/Facebook)
CPI apontou que Cabo Pet era integrante de um grupo de milícia (Foto: Reprodução/Facebook)
O juiz da 1ª Vara Penal de Belém, Edmar Pereira, recebeu nesta quarta-feira (16), denúncia contra nove pessoas acusadas de participação na execução de Antônio Marcos da Silva Figueiredo, conhecido por "Pet", integrante da Polícia Militar, morto em novembro do ano passado.
De acordo com o Tribunal de Justiça do Pará (TJ/PA), "Pet" era integrante de um grupo de milícia denominada “Irmãos de Farda”, que atuava nos bairros do Guamá e Terra Firme, em Belém.
Ainda segundo o TJ, cada denunciado será citado para, em seguida, apresentarem suas respectivas defesas, pelo prazo de dez dias.
A audiência de instrução do processo deverá ocorrer entre os meses de fevereiro e março de 2016. 
O promotor de justiça José Rui de Almeida Barbosa denunciou John Herbert Santos da Silva, “o Grug”; Mauro Alexandre Nunes dos Passos, “Mauro Gordo”; Adriano de Andrade dos Santos Neto, “Panturrilha”; Moisés dos Santos Silva, “Moises Taxista”; Shelldon Roberto Nobre Gouveia, “Japa”; Alexsandro Brito de Azevedo, “Nego Alex”; Moisés da Silva Gomes, “Poeta”, Túlio Novaes dos Santos e Josicleide Pureza da Costa.
Conforme a denúncia, os indiciados integram facção criminosa denominada "Rex", cuja atividade principal é o tráfico de drogas na Região Metropolitana de Belém.
Ainda conforme denúncia a facção "Rex" é rival da milícia “Irmãos de Fardas”, que teria em sua composição policiais civis e militares. 
Na denúncia, há relato que integrantes da facção "Rex" responsabilizam integrantes da milícia "Irmãos de Farda" pelas mortes de Tandar, Adriano Nascimento, o “Narigudo”, e André Nascimento, o “Dedé”. A morte de "Pet" teria sido para vigar essas mortes.
Moisés da Silva Gomes, o “Poeta”, que atualmente está recolhido na penitenciária de segurança Catanduvas/PR, teria ordenado a morte de um dos integrantes da milícia “Irmãos de Farda”, através de Josicleia Pureza da Costa, companheira de Poeta.
A execução teria contado com a ajuda de Túlio Novaes dos Santos, que ficou responsável de verificar o movimento das viaturas policiais na área.
Os cinco primeiros denunciados teriam se encontrado numa passagem do bairro da Terra firme, por volta das 19h, do dia 4 de novembro de 2014. (Pararijos NEWS)