Google+ Badge

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Pastor evangélico confessa ser usuário de crack

Santana: Pastor evangélico confessa ser usuário de crack
Um pastor evangélico está sendo investigado pela Polícia Civil de Santana por suspeita de ligações com o tráfico de crack na cidade. Em depoimento na 2ª Delegacia de Polícia, ele confessou ser usuário da droga.
Na semana passada, ele e mais 20 pessoas, a maioria usuários, foram conduzidos à 2ª DP depois que 38 pessoas, todas vizinhos da igreja dele, foram até a delegacia pedir que a polícia fizesse alguma coisa para acabar com a baderna atrás do templo.
“Eles não aguentavam mais a fumaça do uso de drogas, cenas de sexo, brigas, era um antro”, resume a delegada Luiza Maia, titular da 2ª DP.
Usuários levados para a delegacia na semana passada
Usuários levados para a delegacia na semana passada
O antro a que se referiu a delegada ficava atrás da Igreja Pentecostal a Colheita de Deus, num terreno que o pastor Sérgio da Gama Alfaia, que se identificava como presidente da congregação, declarou ter sido uma herança de família. Os vizinhos apelidaram o lugar de Beco do Crack, próximo a Área Portuária de Santana.
Mas atrás do prédio, que realizava cultos quase todos os dias, usuários se reuniram para fumar crack, inclusive o pastor, segundo a delegada Luiza Maia. “Ele negou ser traficante, mas confessou ser usuário de pedras de crack e que a última vez que consumiu foi no dia da batida que fizemos lá”, revela a delegada.
Alguns objetos de furto e roubo. Fotos: 2ª DP
Alguns objetos de furto e roubo. Fotos: 2ª DP
O lugar é considerado pela polícia “boca de uso”. No entanto, na operação da semana passada, a polícia encontrou dezenas de celulares e outros objetos suspeitos de serem furtados, além de cachimbos e terçados. Depois de rastreamento foi confirmado que um dos celulares era roubado. A suspeita é de que havia troca de objetos por drogas.
O site SelesNafes.Com conseguiu falar com o pastor Sérgio Gama Alfaia, de 57 anos. Apesar do depoimento que deu informando que é usuário, ele negou envolvimento e disse que há 3 anos não é mais pastor da Igreja a Colheita de Deus. Ele teria alugado o prédio para outra igreja.
“Eu entreguei o cargo depois que me separei da minha esposa. Nem sabia que isso (usuários fumando) estava acontecendo lá. Eu já providenciei o fechamento do lugar e agora a polícia está investigando”, disse o pastor que disse estar morando no Bairro Fonte Nova. Apesar disso, a delegada disse que vai indiciar o pastor no Artigo 33, parágrafo 2º, que tipifica como crime ceder lugar para uso e fomentar o consumo de drogas.
(Pararijos NEWS)