Google+ Badge

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Nova ferrovia deve ligar Mato Grosso ao Pará

Nova ferrovia deve ligar Mato Grosso ao Pará (Foto: Cristino Martins/Agência Pará)
Projeto da ferrovia ligará Porto de Miritituba, em Itaituba (foto), a Sinop, no Mato Grosso (Foto: Cristino Martins/Agência Pará)
O Pará pode ganhar uma ferrovia ligando o Porto de Miritituba, em Itaituba, região do Baixo Amazonas, a Sinop, no Mato Grosso. O empreendimento é considerado prioritário para o setor que atua no agronegócio, especificamente na produção de grãos. O projeto foi tratado durante a visita do senador Blairo Maggi (PR/MT) ao ministro da Secretaria Especial de Portos (SEP), Helder Barbalho, na manhã de ontem, em Brasília.
Segundo Blairo Maggi, um grupo de empresários, que atua na produção de soja, entregou ao Governo Federal uma Proposta Nacional de Interesse (PNI), na qual manifesta o desejo de construir a ferrovia, por meio de concessão pública. Todo o custo do empreendimento será arcado pelo setor privado, no prazo de 5 anos a contar da liberação do projeto. A realização desse importante projeto entrou na agenda do Governo e das empresas.
O grupo de empresários contratou uma consultoria, que realizou estudos que mostram a competitividade da ferrovia, que sairá da região produtora de grãos e chegará à hidrovia, de onde o produto será enviados aos mercados compradores. A ferrovia poderá transportar até 30 milhões de toneladas, até 2020, em uma via expressa, com um trem que fará uma ida e volta em 4 dias. A principal vantagem é tornar os preços mais competitivos a custos mais baixos.
Para Helder, além das vantagens competitivas ao agronegócio, o projeto fará com que o Pará passe a ser a principal rota para escoamento de grãos pelo Norte do Brasil, tendo os portos como destino. A produção aportada em Miritituba passará pelo Porto de Vila do Conde com destino à exportação. “Esse projeto nos deixa muito entusiasmados. Ele abre grandes expectativas de investimentos no Pará, com o estímulo do Governo Federal ao setor privado”, destaca Helder.
(Diário do Pará/Pararijos NEWS)