Google+ Badge

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Cunha não convence tucanos


Um dos pilares de sustentação política do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), até agora, o PSDB reuniu sua bancada de deputados federais ontem à noite e, por unanimidade, decidiu pedir no plenário a sua saída do cargo devido às acusações de envolvimento no petrolão, informou ontem à noite o portal da "Folha de S. Paulo". De acordo com a notícia publicada ontem, "a defesa apresentada até agora pelo presidente da Câmara dos Deputados não convenceu nenhum integrante da bancada do PSDB", informou, na saída da reunião, o líder da bancada, Carlos Sampaio (SP). Os tucanos prometeram uma entrevista coletiva hoje, em que soltarão uma nota pedindo a saída de Cunha. Também usarão o plenário da Câmara para externar essa posição.
"A nota deixará claro que o PSDB considera que a defesa e os argumentos apresentados pelo presidente da Câmara até agora não convenceram e não têm respaldo em provas, e que seu afastamento é imprescindível para que o plenário da Câmara decida seu destino com a devida isenção", afirmou Sampaio.
A decisão de ontem representa uma mudança na posição da legenda até agora. Apesar de ter assinado há algumas semanas uma nota em que pedia a saída de Cunha, o partido vinha mantendo a sustentação política do peemedebista nos bastidores com o intuito de tentar forçá-lo a deflagrar o processo de impeachment contra Dilma Rousseff.
O desgaste público desse jogo duplo de bastidores, porém, levou a maior parte da bancada a defender uma posição mais direta. Isso representa um golpe na sustentação política de Cunha pois, até agora, somente os nanicos PSOL e Rede pediam claramente sua saída nas sessões plenárias. Aliados do peemedebista afirmam que irão tentar contornar a situação nos bastidores.
Os dois integrantes do PSDB no Conselho de Ética da Câmara estão autorizados pela legenda a votar contra Cunha, que sofre processo de cassação no Conselho de Ética da Casa. No dia 24 deve começar a ser votado relatório preliminar que irá definir se o processo segue ou é arquivado. Além de ter sido denunciado pela Procuradoria-Geral da República sob a acusação de envolvimento no escândalo da Petrobras, ele escondeu patrimônio milionário no exterior.
DRU
Líderes do PSDB na Câmara procuraram o governo para propor um acordo pela aprovação da DRU (Desvinculação de Receitas da União), mecanismo que dá maior liberdade ao governo para remanejar o Orçamento. O deputado Bruno Araújo (PSDB-PE) procurou o líder do governo, José Guimarães (PT-CE), e avisou que os tucanos estão dispostos a aprovar a matéria, desde que haja modificações pontuais no texto.
O primeiro contato entre os dois deputados ocorreu anteontem e ontem os dois grupos começaram a debater um formato de consenso para o texto. É a primeira vez desde o início do atual mandato da presidente Dilma Rousseff que a oposição procura aliados do governo para oferecer uma trégua e ajudar na aprovação de medidas consideradas imprescindíveis pelo Planalto. "Não queremos salvar Dilma, mas também não podemos ter compromisso com o abismo", justificou Bruno Araújo. O encontro dos dois deputados ocorreu no gabinete da liderança do governo na Câmara. Técnicos do PSDB acompanharam a reunião. (Pararijos NEWS)