Google+ Badge

sábado, 8 de agosto de 2015

Após uma semana de espera, laudo é divulgado

Após uma semana de espera, laudo é divulgado (Foto: Alberto Bitar)
Zenaldo Coutinho pode ser processado por homicídio culposo, caso seja comprovada negligência (Foto: Alberto Bitar)
Uma semana após ser concluído pelo Corpo de Bombeiros Militar (CBM) do Pará, o laudo que aponta as causas do incêndio no Pronto-Socorro Municipal Mário Pinotti (PSM da 14) foi finalmente publicado, sem alardes, no site oficial da Prefeitura de Belém. Também na tarde de ontem, a assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros informou que o documento estava finalmente à disposição da reportagem do DIÁRIO.
O documento tem 26 páginas, 19 delas com fotos do local do incêndio. Foi assinado pelos peritos de incêndio e explosões major Charlyston Witting Cardoso de Souza e Alex dos Santos Lacerda, primeiro tenente. No laudo, os peritos descartam a possibilidade de o incêndio ter sido causado de forma intencional. Ou seja, não houve sabotagem, segundo eles. Também foram descartadas descargas atmosféricas, em razão das boas condições do tempo no momento da tragédia.
Os peritos chegaram a levantar duas hipóteses para o incêndio. Uma delas foi o aumento da densidade da energia elétrica em fio elétrico flexível - um aquecimento em fios que não estivessem em conformidade. A outra hipótese seria o problema interno na central de ar. Os peritos afirmam, contudo, que a primeira hipótese estava descartada, visto o estado da fiação em torno da central de ar onde surgiu o fogo, deixando como causa problemas na central de ar.
O incêndio no PSM da 14 ocorreu no dia 25 de junho, causou a morte de três pessoas e é alvo de um Procedimento Investigatório Criminal (PIC), que corre sob sigilo de Justiça no Ministério Público (MP).O comandante-geral do Corpo de Bombeiros, Nahum Fernandes, já prestou depoimento e o prefeito Zenaldo Coutinho também foi intimado e deverá depor sobre o caso. Zenaldo pode ser processado por homicídio culposo, caso fique comprovado que foi relapso, ao não considerar os alertas feitos em parecer do próprio CBM, há mais de 1 ano. Se condenado, o prefeito pode pegar até 20 anos de prisão.
PERITOS
Dois peritos consultados ontem afirmaram que o laudo está tecnicamente correto, mas apontam que o documento não esclarece o ponto mais importante: o que causou o incêndio? O curioso é que o próprio laudo, produzido pelo CBM sob os olhares de Zenaldo e de Jatene - a quem os Bombeiros estão subordinados - indica sérios problemas ignorados pelos peritos militares. À página 14 do laudo, há uma foto que assusta. A imagem mostra emendas feitas nos fios da instalação do ar-condicionado. Em bom português: gambiarras. Num aparelho dentro de um hospital. As emendas, de fato, estão intactas. Mas não dá para dizer o mesmo da continuação da fiação. Na foto, o que se vê logo abaixo das gambiarras é uma grande mancha, possivelmente o local de origem das chamas. “É difícil afirmar. Mas tudo indica que as manchas brancas na foto são marcas do fogo, que se originou nesse mesmo local”, analisou um perito.
Por tudo isso, as investigações devem se voltar para o estado dos aparelhos de ar condicionado no PSM da 14. E a possibilidade de o problema ter ocorrido na central de ar não exime Zenaldo de culpa. Tampouco, encerra o caso. O promotor Militar Armando Brasil já informou que as investigações continuam e que “outras provas precisam ser cotejadas”. Os problemas nas centrais de ar do PSM da 14 já haviam sido alvos de alerta à Prefeitura pelo próprio CBM. Em parecer produzido pela Corporação, no início de 2014, foram apontados cerca de 25 problemas no PSM da 14. Entre as irregularidades destacadas, estavam Unidade de Terapia Intensiva (UTI) com estrutura inadequada, elevadores parados, falhas no sistema elétrico e não funcionamento dos aparelhos condicionadores de ar. 
Em Ação Civil Pública contra o município, os procuradores Melina Tostes e Alan Rogério Mansur Filho também alertaram para o problema. Classificaram o sistema de arejamento do hospital como deficiente e registraram que os aparelhos não funcionaram. Os alertas foram ignorados e agora podem pesar contra Zenaldo.
(Pararijos NEWS)