Google+ Badge

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Exército expõe sistema de foguetes em Belém


Quem foi ao Portal da Amazônia ontem à noite pôde ver a exposição das viaturas que fazem parte do Exército Brasileiro e compõem o Astros 2020, um moderno sistema de foguetes de Artilharia para Saturação de Área. O sistema é composto de sete grandes viaturas, divididas em Comando e Controle de Grupo; Posto de Comando e Controle de Bateria; Lançadora Múltipla; Remuniciadora; Posto Meteorológico; Unidade Controladora de Fogos e; Oficina Veicular e Eletrônica.
Esta é a primeira vez que o sistema é exibido em Belém. Os caminhões saíram de Formosa, em Goiás, e passaram quatro dias em deslocamento terrestre. Do Pará, partem em missão para a fronteira do Amapá com a Guiana Francesa, com deslocamento fluvial.
O comandante Militar do Norte, general Oswaldo Ferreira, explicou que se trata de um sistema poderoso e importante para a artilharia brasileira de guerra. “Pela primeira vez está em Belém. Ano passado veio ao estado mas ficou em outra localidade. E hoje aproveitamos a passagem para mostrar à população. Agora o nosso desafio é ir para Macapá. Vamos até a linha de fronteira com a Guiana Francesa. Vamos mudar o modal terrestre para o fluvial. É um sistema poderoso em termos de potência de fogo. É um armamento muito utilizado em guerras. Eu posso dizer que é um sistema que merece ser conhecido. O Exército tem feito investimentos em seus projetos estratégicos. E um dos projetos é o Astros 2020. Que traz evolução no equipamento que tem papel muito interessante na arte da guerra”, explicou o general.
O comandante do 6º Grupo de Misseis e Foguetes, coronel Alexandre Melniski, explicou também que os foguetes para serem usados no Astros possuem características anti-pessoal, com efeito de sopro e estilhaçamento; anti-carro, com efeito perfurante em chapa de aço; além de serem usados para instrução e adestramento dos militares. Ele acrescentou que o sistema foi usado durante a Guerra do Golfo, na década de 1990, e hoje está mais moderno. “O Sistema Astros é um sistema de saturação de área. Sua missão é lançar uma grande quantidade de fogos em curto espaço de tempo. Então, pode lançar até 32 foguetes em 16 segundos para uma área extensa. Com essa capacidade, ele atinge uma grande área e neutraliza qualquer ameaça. E esse equipamento é mais moderno que o usado na Guerra do Golfo. Não existiam tantos avanços tecnológicos na época, mas mesmo assim o sistema teve destaque. E hoje em dia o Exército tem adquirido novas viaturas e mais equipamentos”, ressaltou o coronel.
O técnico em edificações Paulo André Santos, de 37 anos, sabia da exposição e levou o filho para o Portal da Amazônia. Os dois ficaram encantados com os caminhões lançadores de foguetes. “Meu filho gosta de ver essas exposições. E é gratificante saber qual o trabalho que o Exército tem feito pelo país”, comentou. (Pararijos NEWS)