Google+ Badge

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Tucuxi vence Festival dos Botos e Já soma oito títulos

O Tucuxi foi o campeão do Festival dos Botos, realizado durante a Festa do Sairé, que ocorre anualmente na vila de Alter do Chão, distante aproximadamente 40 km de Santarém, no oeste do Pará. Com a vitória, a agremiação passou a ter oito títulos, enquanto o Rosa, campeão de 2014, permanece com nove. A apuração foi realizada na tarde desta segunda-feira (21), no Sairódromo.
O Tucuxi destacou o tema "Encantos da Amazônia" e venceu com 475 pontos, contra 456 pontuados pelo Cor de Rosa, uma diferença de 19 pontos.
Para o presidente do Tucuxi, Edilberto Ferreira, o título foi o resultado de um bom trabalho tanto da agremiação quando ao trabalho dos jurados, ao atribuir notas de forma criteriosa a cada um dos 16 itens. "Este ano não houve manipulação. Estávamos superiores realmente. Todo mundo falava. Os próprios do boto avesso reconheceram que nosso trabalho estava diferenciado", comemorou.
 (Foto: Zé Rodrigues/TV Tapajós) (Foto: Zé Rodrigues/TV Tapajós)
O presidente do Cor de Rosa, Nivaldo Coelho, reconheceu a superioridade do rival e afirmou que não ia fazer que nem o presidente do Tucuxi no ano passado. "Não vou quebrar esse troféu aqui porque troféu de vice a gente tem poucos", exclamou. "O trabalho não é perfeito. Todo mundo erra. O que a gente faz? Consertar onde nós erramos", afirmou.
Apresentação
A disputa dos Botos foi no sábado (19). A encenação do Tucuxi mostrou o ritual de iniciação que passava de mãe para filha nas tribos indígenas. Uma alegoria em forma de barca mostrou ao público a representação do Divino Espírito Santo, em uma estrutura enfeitada de fitas coloridas, com o arco do Sairé.
Uma das novidades durante a apresentação foi a sedução do boto - item que voltou a ser julgado pelos jurados. O momento foi um dos esperados pelo público, que lotou as arquibancadas para prestigiar a festa. O Tucuxi encenou a lenda utilizando uma família ribeirinha. A apresentação durou 1 hora e 53 minutos, dentro do tempo estabelecido pela comissão organizadora do Sairé.
Outro destaque foi para a cabocla borari, Daniela Tapajós, de 20 anos, que surgiu em cima de um boto cinza gigante, acompanhada de dois botos menores. Daniela interpretou o item pela primeira vez e surpreendeu o público. Ela já disputou por dois anos seguidos como Rainha do Artesanato, mas antes disso, segundo ela, atuou como integrante do carimbó e Rainha do Lago Verde.
O boto homem, interpretado por Alex Oliveira, de 42 anos, entrou no Sairódromo em um muiraquitã que estava pendurado em uma alegoria formada por metade homem e metade boto. A alegoria demonstrou a transformação do homem em boto. O interprete atua há cinco anos como Boto-Homem e este ano de despede do personagem.
Apuração
Cada boto teve duas horas para se apresentar. Ao todo, 16 itens foram analisados pelos jurados, com notas de 7 a 10 cada um: apresentador, cantador, rainha do Sairé, cabocla borari, curandeiro, rainha do artesanato, boto homem encantador, boto animal evolução, rainha do lago verde, carimbó, conjunto folclórico, alegorias, letra e música, ritual, torcida. O item sedução do boto voltou a ser julgado em 2015.
(Pararijos NEWS)