Google+ Badge

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Com o retrovisor lotado


A segunda colocação do Paysandu foi mantida, mas a distância para o líder Botafogo-RJ aumentou. De dois pontos, pulou para cinco. O Bota bateu o Boa Esporte-MG, em Minas Gerais, na última sexta-feira. Os outros integrantes do G-4 não venceram. Além da derrota do Paysandu, o Vitória e a Bahia apenas empataram. A rodada não foi tão ruim, como se pode supor. Contudo, se olhar para baixo, os bicolores também viram a distância para o quinto colocado reduzir para três pontos. Hoje, a posição é do Santa Cruz, com 44 pontos.
Em um momento de definição, o Paysandu não pode mais se dar ao luxo de vacilar, apesar de jogar fora de casa na próxima rodada e contra um adversário direto na luta pelo acesso à Primeira Divisão, que é o Vitória. É necessário pontuar e todos do grupo, inclusive a comissão técnica, falaram abertamente sobre isso. E o discurso seguirá na reapresentação do grupo, está agendada para a tarde de hoje, no estádio da Curuzu. Será o início de uma semana quase que completa de treinamento, pois a equipe viaja apenas na quinta-feira, 24, visando o jogo de sábado 26, em Salvador.
O lateral esquerdo João Lucas analisou o momento e pediu calma. “Não merecíamos perder. Infelizmente aconteceu. Mas isso não pode abalar. Lutamos e o torcedor reconheceu isso”, lembrou, referindo-se aos aplausos pós-jogo. “Agora é ter cabeça fria. E vamos tentar fazer a diferença lá fora”, frisou. João Lucas repetiu, pelo menos, duas vezes a ambição dos bicolores. “O nosso objetivo é subir.”
O capitão Fahel também seguiu a linha de raciocínio do companheiro. Para ele, a eficiência do Náutico foi evidente e, de quebra, não se pode aumentar o tom das críticas aos bicolores. O volante também pediu tranquilidade e um voto de confiança para o grupo em meio a um campeonato difícil e competitivo. “O Náutico veio com uma proposta de achar uma bola. E infelizmente aconteceu. Futebol é assim. Nem sempre quem joga melhor vence”, opinou. “Queríamos vencer e abrir diferença, mas é um campeonato equilibrado e difícil. Nós não conseguimos o resultado, mas na próxima rodada, o tropeço pode acontecer com os nossos adversários diretos. Veja o Botafogo, que venceu, mas não convenceu. O que nós não podemos é baixar a cabeça. Vamos trabalhar forte!”, garantiu.
“A pressa fez com que o erro acontecesse”
Se nos jogos fora de casa, o Paysandu jogava por “uma bola”, priorizando a marcação, o Náutico fez o mesmo em Belém e conseguiu uma vitória, até certo ponto, surpreendente. A estratégia virou contra o próprio feiticeiro. E o Timbu quebrou uma invencibilidade de oito jogos dos bicolores. Apesar do resultado insatisfatório, o grupo alviceleste saiu aplaudido pela torcida, que ainda cantou as tradicionais palavras de apoio, a principal delas, foi “Sabe, sou bicolor, com muito orgulho e com muito amor...”.
Ao que parece, grande parte da torcida imprensou o coro de revolta de uma pequena parte, que disparou críticas na direção do meia Carlos Alberto. Até o treinador Dado Cavalcanti, mentor da campanha bicolor, não foi poupado. No entanto, com o revés consumado, todos foram alvos de palavras de apoio, para evitar com que o momento difícil se transforme em turbulência já na próxima rodada.    
O discurso do treinador do Papão, Dado Cavalcanti, foi realista, como de praxe. Ele analisou a partida friamente, evitando o sentimento de emoção, que pode atrapalhar qualquer tipo de análise. “Não conseguimos sair com o resultado. Fomos superiores ao adversário, mas também erramos passes. Jogamos muito melhor que o adversário, agredimos, mas é futebol”, definiu.
Na sequência, o comandante salientou que, a partir do gol do Náutico, o time bicolor acabou confundindo força e pressão com um problema sério. “A pressa fez com que o erro acontecesse. Erramos muito passes e isso foi um fator primordial. Nós isolamos o Betinho, porque o jogo estava difícil no meio-campo”, enfatizou. ”
Na visão de Dado Cavalcante, há 10 equipes brigando pelas quatro vagas que dão o acesso à Série A de 2016. Além dos quatro primeiros, Botafogo, Paysandu, Vitória e Bahia, o Santa Cruz, Sampaio Corrêa, América, o Náutico e o Bragantino estão no páreo, a analisar a tabela de classificação. “Vamos buscar esses pontos lá fora. Vamos procurar o resultado”, garantiu Dado. “É o momento de ter tranquilidade, estamos bem posicionados e o campeonato segue.
(Pararijos NEWS)