Google+ Badge

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Eduardo Ramos não recebe o combinado da diretoria e América-MG volta à briga para levar o jogador


Quem vê cara não vê coração. O ditado popular pode muito bem ser aplicado ao atual momento do meia Eduardo Ramos no Clube do Remo. O jogador tem aparecido risonho, dando a entender que está tudo bem no relacionamento com a diretoria. Mas a realidade é outra. O craque, apesar de mostrar simpatia, anda cabisbaixo no Baenão, tudo, segundo fontes, pelas promessas não cumpridas pela diretoria azulina.
Eduardo Ramos veio para Belém na certeza de que o Remo resolveria suas pendências financeiras. A diretoria azulina prometeu adiantar 25 mil dos 100 mil que o atleta tem a receber, mas até ontem o meia não tinha nenhuma confirmação sobre a data em que receberia a quantia. Segundo uma fonte, o jogador fez um acordo para receber 25 mil agora e o restante (75 mil)  parcelado a partir do mês de março. Com isso, o jogador, mesmo tendo pré-contrato assinado de dois anos, está analisando propostas de outros clubes, especialmente do América (MG), que está oferecendo salário de R$ 70 mil mensais.
Na viagem de retorno a Belém, Eduardo Ramos veio com seu pai, Carlos Martins, que atua como seu empresário. Ele, contudo, evita comentar o problema para não entrar em atrito com a diretoria, mas diz que já conversou com o presidente Manoel Ribeiro sobre a situação. Segundo ele, o filho tem muita identificação com o clube, com a torcida. Eduardo Ramos dispensou o prêmio pela conquista da vaga para a Série C, e além disso reduziu o salário no seu último contrato. A multa de rescisão é de R$ 500 mil. Eduardo Ramos espera conversar com os dirigentes até amanhã na expectativa de receber os R$ 25 mil, senão, pode voltar para Goiânia e discutir sua liberação na Justiça. O meia veio do Paysandu para o Remo através do convite do ex-presidente Zeca Pirão. (Pararijos NEWS)