Google+ Badge

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Site registra mais de 2 mil reclamações na Black Friday

O site especial do Reclame Aqui para a edição 2014 da Black Friday Brasil já reúne mais de 2 mil reclamações de consumidores insatisfeitos, até às 13h desta sexta-feira (28). Segundo os responsáveis, o site começou a receber reclamações desde às 18h de quinta-feira (27), quando muitas empresas colocaram as ofertas no ar.
O Submarino é, até o momento, a loja com maior número de reclamações da Black Friday Brasil, segundo ranking atualizado em tempo real pelo site Reclame Aqui. Pela parcial das 14h, o Submarino acumulava 541 reclamações, seguido da Americanas.com, com 502. Saraiva (380 queixas), Netshoes (123) e Magazine Luiza (88) completam o top 5.
Em nota a Netshoes se posicionou a respeito das instabilidades em seu site e estendeu o prazo de compras. "A Netshoes reafirma seu compromisso com a melhor experiência do cliente e anuncia a extensão das condições e ofertas da Black Friday para este sábado, 29 de novembro. A iniciativa visa garantir o direito de compra nas mesmas condições anunciadas àqueles clientes que eventualmente não conseguiram concluir seu pedido nas primeiras horas da campanha e a todos que desejem aproveitar as promoções por mais um dia".
Segundo o Reclame Aqui, os registros nas horas iniciais da Black Friday já superam a média de um dia inteiro de operações normais.
O Procon de São Paulo, que montou um esquema especial na madrugada para atender os consumidores, registrou 527 reclamações por telefone, site e redes sociais entre 19h de quinta-feira e 12h desta sexta. A fundação montou, em diversas cidades, esquemas especiais para atender os consumidores na Black Friday.
As reclamações, no entanto, não parecem ter diminuído a intenção de aproveitar os descontos. Até o meio-dia dessa sexta, a megapromoção já havia registrado um faturamento de R$ 248 milhões no Brasil, apenas nas vendas pela internet.

Lentidão e falsas ofertas
Além de lentidão nos sites, internautas como Lindiano Silva relataram supostas fraudes nos preços ou descontos muito abaixo do prometido nas lojas online. “A loja está com sacanagem. Um aparelho de ar-condicionado na semana passada estava por R$ 2.449, agora está R$ 2.299? Isso pra mim é fraude.”
“Estou há mais de meia hora tentando entrar no site da loja e não consigo”, relatou no Facebook o internauta Fernando Oliveira, que queria fazer a compra em uma loja virtual.
Pelo Twitter, os internautas também registravam suas queixas. “Começou! Produtos um pouco mais barato e fretes altíssimos!”, expôs Wilgno de Oliveira sobre o serviço de entrega das lojas.
No site do Reclame Aqui, um internauta não identificado de Osasco (SP) relatou seu problema em uma loja virtual. “Efetuei a compra de uma TV, o boleto foi gerado e pago, mas não consta nenhuma informação no site. Não tenho o número o pedido, a única prova que tenho é o boleto. No site tem uma mensagem dizendo que pode demorar alguns minutos para aparecer as informações sobre o pedido, mas no meu caso já tem mais de meia hora e nada.”
A Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico, lançou ano passado o selo Black Friday Legal. O selo mostra quais lojas seguem o Código de Ética do evento e se comprometem a oferecer apenas descontos honestos ao internauta. As lojas participantes podem ser conferidas no site da Black Friday.
Yahoo.com