Google+ Badge

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Números da Aids põem Sespa em alerta

O aumento do número de casos de HIV/Aids, de 2011 a 2013, no Pará, com um salto no ano passado - de 863 em 2012 para 1.050 casos comprovados - está deixando a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) atenta diante da possibilidade de aumento dos índices. Os dados sobre a doença divulgados pela Coordenação Estadual do Programa de DST/Aids, vinculada à secretaria, mostram que 441 novos casos da doença foram notificados no Estado, de janeiro a 12 de agosto deste ano, o que representa menos da metade do total diagnosticado em 2013, mas os números têm oscilado de forma inesperada. 
Por meio de nota da assessoria de comunicação, a Sespa informou que o número de casos notificados de Aids, em 2005, fechou em 888 casos confirmados. No ano seguinte, o dado cresceu para 891. Em 2007, houve nova subida, para 1.090 casos. Já em 2008, o número bateu em 1.355 casos e em 2009 caiu para 1.036. Em 2010, ocorreram 1.044 casos. A partir de 2011, os dados voltaram a cair, com o registro de 822 casos notificados naquele ano. Mas no ano seguinte, sofreram alta com o diagnóstico de 863 casos. No ano passado, houve 1.050 casos notificados da doença. Os dados preliminares de 2014, atualizados até 12 de agosto, apontam para 441 novos doentes no Estado.
Quinze municípios do Estado concentram as maiores estatísticas de diagnóstico, desde 2010: Belém, Ananindeua, Santarém, Castanhal, Parauapebas, Paragominas, Redenção, Marituba, Itaituba, Marabá, Barcarena, Ourilândia do Norte, Santana do Araguaia, Tucumã e São Félix do Xingu. Pessoas heterossexuais lideram o ranking de infectados, somando quase 3 mil.
Pelos dados divulgados na página www. Saude.pa.gov.br/aids, a Sespa não apresenta, a princípio, os dados em relação às classes sociais. O que se tem, de acordo com a assessoria do órgão, refere-se à categoria de exposição hierarquizada. Conforme as estatísticas de 2010 a 12 de agosto de 2014, os heterossexuais lideram o ranking de infectados, somando 2.956, seguido pelos homossexuais (633), não informados (322) e bissexuais (156).
O Liberal