Google+ Badge

domingo, 10 de janeiro de 2016

Lyoto levou o nome no Pará para o mundo

Lyoto levou o nome no Pará para o mundo (Foto: Divulgação)
Apesar de baiano, a identificação de Lyoto Machida com o Pará tornou o Estado conhecido pelos amantes de MMA no mundo (Foto: Divulgação)
O Pará sempre foi um destaque nas artes marciais, com nomes tradicionais no mundo das lutas: Machida e Yamaguchi, no caratê; Carlos Gracie, da lendária família Gracie, criador do jiu-jitsu brasileiro; Ullysses Pereira, no boxe, entre outros. Mas, ultimamente, o Estado tem sido destaque no esporte que une todas essas artes, o MMA, sigla em inglês para artes marciais mistas. Lyoto Machida, ex-campeão meio-pesado do UFC, e Yuri “Marajó” Alcântara são as maiores referências do Pará neste esporte que só tem crescido, tanto em espectadores, quanto em termos de praticantes.
Muitos atletas migram para esse esporte sonhando em chegar a grandes eventos mundias, como o Ultimate Fighting Championship (UFC) e Bellator. Para chegar lá, o caminho não é tão simples, é necessário muito treino e dedicação, um trabalho que pode durar anos. Um especialista em lutas, que já treinou grandes nomes, como Yuri Marajó, é Alcenir Lima, o Frankiko. Ele explica que seguir a carreira de lutador é uma decisão que implica total comprometimento. “Não é fácil virar um atleta de MMA, são horas de treino, alimentação equilibrada, além de muito trabalho de bastidores para conseguir lutas boas, que fazem o lutador ganhar um destaque e conseguir contratos em grandes eventos. É muito difícil”, afirma o experiente treinador.
Leia mais na edição especial Belém 400 Anos do DIÁRIO.
(Pararijos NEWS/Café Pinheiro/Diário do Pará)