Google+ Badge

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Atraído para a morte


Um jovem foi assassinado com várias facadas, ontem à tarde, em Águas Lindas, em Ananindeua. A motivação do crime foi passional, revela o delegado Guilherme Macedo, da Divisão de Homicídios, que esteve no local do crime. A vítima, Waldeam Pinto Monteiro, de 21 anos, foi atraída ao local por uma mulher com quem manteve um relacionamento afetivo quando ela namorava um presidiário que prometeu matar o rival. Após ser solto, o ex-detento cumpriu a ameaça. Para matar Waldeam, ele também contou coma ajuda de um comparsa. As polícias Civil e Militar efetuam buscas aos três envolvidos.
O crime ocorreu na Rua Ipacaraí, mais conhecida como Rua do Café Diário, por volta das 15h30. De acordo com o sargento Edinaldo Frazão, da 3ª Companhia do 6º
Batalhão da Polícia Militar, que esteve no local do homicídio, uma moça esteve na residência de Waldeam, cerca de uma hora antes, para chamá-lo para sair. O casal saiu na motocicleta da vítima. Porém, ao chegar num terreno baldio, Waldeam foi abordado por dois homens que, usando duas facas, uma pequena e outra grande, aplicaram vários golpes na vítima, atingindo-lhe o peito, as costas e o pescoço. O jovem morreu no local. A motocicleta dele foi roubada, sendo usada na fuga dos assassinos. Porém, foi abandonada mais adiante e apreendida pela polícia.
O corpo ficou exposto à curiosidade de grande números de populares na via pública. Duas técnicas do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves estiveram no local fazendo levantamento das primeiras informações sobre o assassinato, acompanhados por policiais militares e policiais civis, além de familiares da vítima. Ao final do trabalho de levantamento de local de crime, o cadáver foi removido para ser necropsiado no Instituto Médico-Legal (IML) antes de ser entregue à família para sepultamento.
O delegado informou que o ex-presidiário e a moça que teria atraído Waldeam ao local do crime já estavam identificados, mas que os nomes não seriam divulgados para não “atrapalhar as investigações”. Se a polícia não conseguir localizá-los nas próximas horas, deverá ser requerida à Justiça a decretação da prisão preventiva deles. O inquérito policial vai tramitar na Delegacia do Júlia Seffer, onde foi registrado o boletim de ocorrência do homicídio. (Pararijos NEWS)