Google+ Badge

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Pará não atinge meta de vacinação contra a Pólio


Pará não atinge meta de vacinação contra a Pólio (Foto: Alzyr Quaresma)
Em Belém, a campanha foi prorrogada até a próxima sexta-feira (Foto: Alzyr Quaresma)
Apesar da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite ter conseguido ultrapassar os 70% da cobertura contra a doença, no Pará somente 64,13%% das crianças foram vacinadas, segundo o Ministério da Saúde. Nesse caso, foram aplicadas 427.198 mil doses, quando a expectativa era vacinar 666.112 das crianças, em idades de seis meses a menos de cinco anos. A prefeitura de Belém informou, em nota, que prorrogou a campanha na capital até a próxima sexta-feira (04).
Para a administradora de empresas Catarina Trindade, de 29 anos, a manhã de ontem foi corrida. Ela levou sua filha, a pequena Ana Carla, de 3 anos, para o último dia de vacinação no Posto de Saúde da UEPA, no bairro do Marco. “Vou ter que chegar tarde no meu trabalho, mas temos que fazer nossa parte como mãe”, contou. Catarina já estava sabendo da campanha através da imprensa, e pela correria do dia a dia, deixou para a última hora. “O importante é que cheguei a tempo”, brincou. A Campanha contra a poliomielite, também conhecida como paralisia infantil, iniciou no dia 15 com o dia D da vacinação. 
Ainda na manhã de ontem, os pais que procuraram a Unidade de Saúde da Marambaia, tiveram que voltar para casa sem vacinar seus filhos. A secretária do lar Albélia Martins, 38, levou Isabela, de 4, para ser imunizada. Mas, ao chegar no local, ela recebeu uma desagradável notícia: não havia vacinas naquela unidade. Revoltada, ela cobrou explicações. “Era para eles terem anunciado, pelo menos isso”, lamentou a doméstica que mora no conjunto Panorama XXI. De acordo com os funcionários, o motivo de não ter vacina na Unidade é que o posto passa por uma reforma na rede elétrica, e por conta disso, a medicação foi levada à Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) para refrigeração, mas esta manhã o atendimento deve voltar à normalidade. A Sesma foi procurada pela reportagem, mas não deu retorno. 
Os pais que deixaram de levar seus filhos durante a campanha da polio, ainda poderão procurar qualquer unidade de saúde mais próxima de suas casas para a imunização. Faz 26 anos que o Brasil não tem casos de paralisia infantil. Mesmo assim, segundo a Organização Mundial da Saúde, nove países registraram casos da doença nos últimos dois anos. Em três países, Nigéria, Paquistão e Afeganistão, a poliomielite é endêmica. Na maioria dos casos, a doença não leva à morte, mas deixa sequelas no sistema nervoso, como paralisia irreversível, principalmente nas pernas.
(Roberta Paraense/Diário do Pará/Pararijos NEWS)